O deputado estadual Tião Gomes (Avante) detalhou, nesta terça-feira (29) os pontos que serão investigados com a CPI dos Cartórios que deverá  ser instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

De acordo com Tião os cartórios paraibanos estão cobrando taxas abusivas, alguns prestam mau serviço à população, além de imperar o nepotismo, com concessões que passam de geração para geração.

“Esse nepotismo tem que se acabar. Já acabou no poder Judiciário, já acabou no poder Executivo, no poder Legislativo e agora tem que acabar nos cartórios. Não é possível que essa capitania hereditária que existe nos cartórios de vinte, trinta, quarenta anos de pai pra filho, pra irmão, pra mãe, nós temos que acabar com isso porque é a legislação que quer” declarou.

O parlamentar ainda alegou que a Paraíba carece de mais cartórios, haja vista a alta demanda que tem que ser resolvida apenas nos já existentes. Somente João Pessoa, de acordo com Tião, daria para serem instalados mais dois ou três cartórios.

“A Paraíba comporta a instalação de novos cartórios de imóveis principalmente pois hoje nós temos 80 e poucos cartórios, somos o estado em que os cartórios arrecadam mais porque não dividiram, não aumentaram o número de cartórios, João Pessoa comporta dois três cartórios a mais. nós queremos fazer esse estudo e levar para o judiciário. Mas a CPI dos cartórios vai ser instalada sim” concluiu.

PB Agora com informações de Eliabe Castor

Total
2
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Assembleia aprova projetos que beneficiam beneficiam pessoas com deficiência

Os deputados da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) fizeram um esforço, durante a sessão ordinária desta terça-feira (12), para aprovar diversos projetos que beneficiam as pessoas com deficiência em todo…

Ao lado de Ruy, ministro destaca importância de salvar barreira

Ao lado do deputado federal Ruy Carneiro (PSDB), o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto ratificou o compromisso em salvar a barreira do Cabo Branco, em João Pessoa. O ministro…