A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara Federal aprovou os projetos de lei que criam o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão da Paraíba e a Universidade Rural Federal da Paraíba (URFPB), no município de Areia. As proposituras são do deputado federal Wilson Filho (PTB), que comemorou a decisão e explicou que essas matérias têm como principal objetivo descentralizar a educação e fazer com que mais alunos tenham acesso ao ensino técnico e superior.

O projeto Nº 4.389/16 que autoriza a criação do IFSPB teve como relator o deputado Alex Canziani (PTB-PR). O parlamentar destacou que a “interiorização do ensino superior, técnico, científico e profissional tem se mostrado eficiente em atender às necessidades de desenvolvimento econômico e social de diversas regiões do país, e a situação no sertão paraibano não é diferente”. O seu relatório foi favorável a matéria e foi aprovado por unanimidade.

Já a propositura Nº 5.379/16 que cria a URFPB teve como relator o parlamentar Jorge Côrte Real (PTB-PE), cujo parecer foi aprovado por unanimidade. “A ampliação das oportunidades de acesso à educação superior pública e gratuita, com a criação de uma Universidade Rural Federal da Paraíba no município de Areia, mediante a transformação do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba, certamente impulsionará o desenvolvimento da região”, disse o relator.

Jorge Côrte Real ainda acrescentou que se trata de um clamor dos estudantes, professores, técnicos, funcionários e também da população da cidade de Areia, tendo em vista que consideram um desperdício ter a excelente infraestrutura do CCA e não a utilizar para oferecer ensino de qualidade para a população no horário noturno, em que tal estrutura fica absolutamente desocupada.

Wilson Filho destacou que a criação da URFPB vai beneficiar 30 municípios do Brejo e a de Curimataú, pois serão abertos novos cursos e mais vagas, dando oportunidade para que mais jovens tenham acesso a um curso superior. “O atual IFPB, com sede em João Pessoa, conta com dez campi, em processo de expansão para quatorze. É o único instituto federal no estado, contrastando, por exemplo, com outros estados. Defendemos a descentralização do ensino, pois isso faz com eu mais pessoas tenham acesso à educação e a cursos que se adéqüem à realidade local”, argumentou.

 



Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Circulandô chega a Ingá neste sábado com cinema e oficinas de arte

O projeto Circulandô, do Centro Estadual de Arte (Cearte), estará na cidade de Ingá nos dias 14 e 15 de setembro com sete oficinas de arte nas áreas de Dança,…

Tecnologia da informação e economia circular serão temas de oficina na Paraíba

O Programa Rotas da Integração Nacional, do Ministério do Desenvolvimento Regional, vai promover, durante os dias 10 e 12 de setembro, em João Pessoa e Campina Grande, a 1ª Oficina…