Referência nacional em políticas públicas de Assistência Social, Campina Grande foi escolhida pelo Ministério da Cidadania como a primeira cidade do país para implementar uma parceria com o governo federal, a empresa Microsoft e a Província de Salta, na Argentina, para o desenvolvimento de tecnologia de monitoramento de programas sociais voltados ao desenvolvimento infantil.

O objetivo é transferir experiências e ferramentas para a implementação de inteligência artificial que apoiem melhorias no atendimento do programa social brasileiro que beneficia crianças de até três anos, integrantes do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal, e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), além de gestantes.

Nesse sentido, a cidade receberá, na manhã desta quarta-feira, 25, a visita do ministro da Primeira Infância da Província de Salta, Carlos Abeleira, de uma equipe da Microsoft e comitiva do Ministério da Cidadania.

Uma reunião, marcada para ter início às 9h no auditório do Ipsem, no bairro Jardim Tavares, aprofundará as discussões para o projeto-piloto a ser desenvolvido em Campina Grande, como resultado já da assinatura do Acordo de Cooperação Técnica ocorrido na última segunda-feira (23), em Brasília.

Eva: orgulho e responsabilidade

Para a secretária Eva Gouveia, da Semas, a escolha de Campina Grande como primeira cidade brasileira a aplicar a parceria não é apenas motivo de orgulho, mas de elevada responsabilidade. Eva destaca os avanços alcançados na gestão do prefeito Romero Rodrigues em dois programas apontados pelo Ministério da Cidadania como referências nacionais: o Criança Feliz e o Centro Dia.

A comitiva, que já cumpriu durante dois dias agenda em Brasília, irá capacitar visitadores e supervisores do Programa Criança Feliz em Campina Grande e testará a ferramenta estrangeira na coleta de dados. Depois disso, as informações serão avaliadas em conjunto.

O Brasil é o quinto país da América Latina que recebe a experiência do sistema de monitoramento desenvolvido na Argentina para avaliar as condições de vida de crianças.

O cruzamento de dados permitirá prever possíveis vulnerabilidades, antecipando informações para evitá-las. O Projeto Horus, como é chamado, já está sendo utilizado há cinco anos na província do país vizinho e apresenta informações detalhadas sobre a real situação de cada pessoa entrevistada pelos visitadores.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB faz parceria com ONG internacional para Educação em Direitos Humanos

O Governo do Estado, por meio da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac) e da Secretaria de Educação do Estado, com o Ministério Público Federal…

CORRIDA DO BEM: Waldonys fará salto de paraquedas e homenagem a Gabriel Diniz

O cantor Waldonys fará um salto de paraquedas e pousará durante a largada da Corrida do Bem que acontece em João Pessoa, no próximo domingo (20), com saída marcada para…