Com o objetivo de oferecer melhor assistência médica, psicológica e social a policiais penais e familiares, a Secretaria de Estado da Administração (Seap) implantou há duas semanas a Central de Atendimento Seap para Covid-19.

A equipe é formada por oito profissionais, sendo um médico, duas enfermeiras, um enfermeiro, dois cirurgiões dentistas, uma psicóloga e duas assistentes sociais, que atuam na sede da Seap, em Jaguaribe, Centro Administrativo; na Penitenciária de Segurança Média “Hitler Cantalice”, em Mangabeira, além de visitas em residências das pessoas com Covid-19 ou que necessitem de outra assistência. Centenas de contatos já foram realizados pela equipe nessas duas semanas de funcionamento.

O secretário Sérgio Fonseca avalia que a Central de Atendimento Covid-19 tem realizado um trabalho essencial. “Estamos cumprindo o que estabelecemos no nosso Plano de Contingência elaborado em março e envidando esforços para assistir com agilidade, profissionalismo e humanização nossos policiais penais e familiares que porventura sejam acometidos por essa doença invisível que nos leva a ter cuidados preventivos e extremamente necessários”, comentou.

Sérgio Fonseca explica que o trabalho da Central começa com o recebimento das demandas que chegam das direções das unidades prisionais a respeito de casos suspeitos de Covid-19. A equipe então liga para o policial penal, faz uma entrevista, coleta dados, informações sobre os sintomas, endereço, e, feita a triagem, a próxima etapa é o agendamento para o teste rápido, que pode ser feito na Penitenciária Média ou no Hospital Edson Ramalho. Nos casos de testagem com resultado positivo o policial penal ou familiar passa a ser orientado e acompanhado por profissionais da Central, inclusive com visitas domiciliares, caso necessário, ou em hospitais. Esse contato é mantido durante o tratamento ou quarentena e após o paciente se recuperar.

Até esta sexta-feira (15) nove policiais penais já se encontravam na estatística de recuperados da Covid-19. Após a doença, a pessoa ainda deve ficar por cerca de 20 dias em quarentena para poder voltar ao trabalho, isto após avaliação médica.

O presidente da Associação dos Policiais Penais da Paraíba, Wagner Falcão, parabenizou a Seap pela iniciativa da Central de Atendimento, que trabalha com a prevenção à Covid-19. “A equipe aqui age preventivamente, a gente procura colaborar também, encontrar os medicamentos, levar em mãos as receitas às pessoas, ou seja, dá todo suporte ao servidor, é uma ação preventiva e está dando certo”, ressaltou. Diariamente o representante da categoria comparece à Central para coletar informações sobre casos suspeitos ou confirmados, além de também repassar notícias à equipe.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Homem morre dentro de carro em estacionamento de hospital

Na manhã desta sexta-feira, dia 29, um homem foi encontrado morto dentro de um carro em um estacionamento do Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa. De acordo com informações o…

ALPB quer destinar recursos para beneficiar profissionais da cultura

A Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização dos Entes Federativos em Estado de Calamidade Pública da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta sexta-feira (29), reunião ordinária, através de videoconferência,…