A Paraíba o tempo todo  |

Caso Ramalho: TJ leva acusado à júri popular

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

João Paulo Guedes Meira, apontado como responsável de causar o acidente que matou os três primos do cantor Zé Ramalho, no dia 06 de maio de 2007 no acidente ocorrido na Avenida Epitácio Pessoa, vai à júri popular. A decisão é da juíza do 1º Tribunal do Júri da Capital, Ana Flávia de Carvalho Dias Vasconcelos. A sentença de pronuncia foi prolatada no último dia (19).

A juíza acolheu a tese da promotoria e do advogado de acusação, no sentido de que João Paulo Guedes Meira praticou a hipótese penal, do “dolo eventual”, aquele que o agente não quer o resultado, mas, assume o risco de produzi-lo.

Segundo a acusação o réu estava alcoolizado no dia do acidente, e fazendo uso de seu carro dirigindo em alta velocidade, passando em sinal de trânsito vermelho provocou o trágico acidente que matou as vítimas, Matheus Ramalho, Shuka Ramalho e Antônio Ramalho, topos parentes do cantor paraibano Zé Ramalho.

Ainda conforme o advogado Ricardo Sérvulo, agora com a sentença de pronuncia, o réu poderá ser julgado pelo 1º Tribunal do Júri de João Pessoa, mesmo sem se fazer presente, uma vez que o mesmo se encontra foragido, mesmo tendo sua prisão preventiva decretada.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe