Por pbagora.com.br

Coordenação do Atendimento de Educação Especial trabalha para ampliar ações nesta área

Nesta quarta-feira, 14 de abril, o Brasil lembra o Dia Nacional de Luta pela Educação Inclusiva. A data surgiu a partir de uma série de iniciativas, como a Declaração de Salamanca, de 1990. No Brasil, as políticas públicas nesta área estão definidas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) e também por meio do Plano Nacional de Educação (PNE). Em Campina Grande o atendimento assegurado pela Prefeitura, para a rede municipal de ensino, é realizado para 1,8 mil alunos com deficiência.

Para a coordenadora do Atendimento à Educação Especial (AEE), Renata Villarim, a data é importante para lembrar as conquistas realizadas neste campo da educação.

“O atendimento educacional especializado a todos os alunos já é garantido na Constituição Federal e, portanto, as práticas de ensino já devem estar adequadas às diferenças entre todos os alunos. Para identificar o que seria diferente, basta lembrar que pessoas com deficiência frequentemente necessitam aprender braile, linguagem de sinais e outras peculiaridades que refletem o atendimento especializado. E o que fez a Constituição foi garantir esse tipo de atendimento especializado no ensino regular”, explica.

Entre os principais avanços, o município de Campina Grande tem investido na Educação Especial, por meio de ações contínuas, como formações mensais aos professores em Atendimento Especializado, curso de libras e a formação em braile. Neste ano também realizou o I Encontro Municipal sobre Autismo, promovido pela Prefeitura Municipal, além da Formação para professores da rede pública e demais interessados sobre Educação para crianças autistas.

“Estamos trabalhando na ampliação dessas ações que incluirá, além de mais conteúdo de formação para professores do AEE, como professores da sala regular com profissionais do Núcleo de Intervenção Comportamental de São Paulo (NIC) trazendo muito conteúdo para os professores em geral”, afirma.

Educação Inclusiva em números

– 1.800 ALUNOS com deficiência matriculados na rede;

 100% dos alunos com deficiência contam com profissional de apoio escolar;

– Alunos com surdez contam com um profissional especializado em Libras;

– Alunos com deficiência visual contam com um profissional especializado em Braile;

– Nesta gestão, a Seduc realizou uma formação em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, com a participação de profissionais do Núcleo de Intervenção Comportamental de São Paulo (NIC).

 

Redação com PMCG

Notícias relacionadas

“Não temos período de seca regular e sim uma irregularidade nas chuvas”, diz especialista sobre seca moderada na PB

A Paraíba registrou piora nas condições de seca em março deste ano, conforme aponta a última atualização do Monitor de Secas coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico…

Especialista analisa os passos de Juliette até se tornar estrela

Fred Furtado, especialista em reputação e autoridade digital, fala que o carisma que a ex-sister conseguiu com público se deu pelas estratégias pessoais no jogo e no marketing digital Com…