Por pbagora.com.br

 

Em decisão unânime, o Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba aprovou como vão ficar as redações dos artigos que tratam das licenças maternidade e paternidade dentro do anteprojeto da Lei da Organização Judiciária do Estado (Loje). Na sessão extraordinária, realizada na manhã desta segunda-feira (19), o Colegiado aprovou as emendas aos artigos 128 e 129 sugeridas pela Comissão de Divisão e Organização Judiciárias.

Segundo o Artigo 128, a licença maternidade será concedida à servidora em razão do nascimento, adoção, tutela ou guarda judicial para fins de adoção, mediante a apresentação de certidão de nascimento ou de documento equivalente, na forma da lei estadual de regência.

O § 1.º diz que “à servidora que adotar, obtiver a tutela ou a guarda judicial de criança com até um ano de idade, serão concedidos 90 dias de licença remunerada.” No parágrafo seguinte, esse período ficou estipulado em 30 dias, quando a criança tiver mais de um ano.

Em relação a licença paternidade, o Pleno aprovou o Artigo 129, que estabelece um prazo de oito dias, em razão de nascimento, adoção, tutela ou guarda para fins de adoção, com a mesma apresentação da documentação exigida para a mulher.
 

 

TJPB

Notícias relacionadas

Policiais mortos pela covid terão homenagens póstumas, na Paraíba

As entidades que representam as polícias Civil e Militar na Paraíba realizarão, na próxima quinta-feira (15), uma grande carreata em homenagem aos policiais mortos e infectados pelo coronavírus. A concentração…

Covid: 27 pessoas morreram nas últimas 24h; JP lidera registros de novos casos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta terça-feira (13), 1.272 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 99 (7,78%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.173 (92,21%) são…