Por Wellington Farias
Foto; reprodução / AgoraRN
 
 

O aumento dos casos de contaminação e morte por coronavírus na Paraíba é decorrência, sobretudo, da soma da flexibilização nas medidas preventivas mais a ignorância da esmagadora maioria da população.

A retomada da onda do coronavírus tem a ver com o equívoco da maioria das pessoas para as quais a flexibilização significa o fim da pandemia. Como se o coronavírus já tivesse sido exterminado do nosso meio.

Muito antes da campanha eleitoral, da Capital ao Sertão da Paraíba, as cidades voltaram praticamente à rotina normal, desde que o Governo e as respectivas Prefeituras começaram a admitir um afrouxamento no isolamento e no distanciamento sociais.

O mais complicado dessa tal flexibilização é que, durante a vigência das normas de combate a doença, as pessoas já não obedeciam às medidas de distanciamento e a obrigatoriedade do uso de máscaras. Ao planejar o afrouxamento das medidas, as autoridades não despertaram na população a necessidade de se manter os cuidados necessários para evitar a contaminação pelo Covid 19.

Campanhas
As atividades inerentes às campanhas políticas podem até ter contribuído com os novos e assustadores números sobre o coronavírus. No entanto, antes dessas atividades tudo estava praticamente normal, especialmente, nas cidades do interior que são a grande maioria do Estado; na Capital, as praias estavam lotadas e o vai e vem de pessoas entre a Paraíba e a Praia de Pipa (RN) havia se intensificado bastante.
Detalhe: Os dois Estados brasileiros em que a segunda onda do coronavírus se pronunciou, não por coincidência, são a Paraíba e o Rio Grande do Norte.

 

Wellington Farias
PB Agora

 
 

Por Wellington Farias

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Nilvan e Cícero votam pela manhã; confira horário e local de votação de cada um

Os candidatos à prefeitura de João Pessoa, Cícero Lucena (PP) e Nilvan Ferreira (MDB) escolheram o período da manhã para votar no 2º turno da eleição que irá definir quem…

Bruno Covas vence eleição para prefeitura de São Paulo

O candidato Bruno Covas (PSDB) venceu a eleição para prefeito da capital paulista com 59,45% dos votos válidos. Guilherme Boulos (PSOL) ficou em segundo lugar, com 40,55% dos votos válidos.  Até…