Por pbagora.com.br

 O meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Raul Fritz, revelou em entrevista que a perspectiva para 2017 em relação a chuvas na região Nordeste ainda é uma incógnita.

 

“Nós não temos ainda elementos científicos para assegurar que vai chover acima da média. Temos que esperar janeiro para fazer um primeiro prognóstico, quando temos um quadro atmosférico e oceanográfico mais claro”, explicou.

 

A possibilidade otimista aponta para chuvas no primeiro trimestre. “Estamos no período de pré-estação chuvosa, entre dezembro e janeiro. Normalmente, as chuvas vêm no volume maior em fevereiro e março. Eventualmente, em um ano ou outro temos um janeiro mais chuvoso, como foi 2016 no Ceará, mas que não foi suficiente para encher os reservatórios que sofreram esses anos todos”, completou Fritz.

 

Já o meteorologista e coordenador do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Humberto Barbosa, disse que as mudanças climáticas estabelecidas apontam para dificuldades futuras para o Nordeste.

 

“Projeções de impactos decorrentes da mudança do clima indicam que a seca se tornará mais frequente e intensa no semiárido brasileiro, agravando os problemas já existentes e ampliando a vulnerabilidade da população”, definiu.

 

Redação com Paraíbaja

 

Notícias relacionadas

“Já encheu o saco isso”, diz Bolsonaro sobre uso de máscaras

Na manhã desta quarta-feira (5/5), durante sua fala sobre a realização de obras no país, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), criticou a imprensa. Segundo ele, os jornalistas não falam das…

Inmet emite alertas de alagamentos e chuvas intensas para quase toda a PB

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas que caem na Paraíba devem continuar até, pelo menos, às 11h desta quinta-feira (6). O órgão emitiu dois novos…