Por pbagora.com.br

A violência é um problema social que está presente nas ações dentro das escolas, e se manifesta de diversas formas entre todos os envolvidos no processo educativo. Isso não deveria acontecer, afirma o doutor em psicologia social e professor da FPB, Nilton Formiga, pois escola é lugar de formação da ética e da moral dos sujeitos ali inseridos, sejam eles alunos, professores ou demais funcionários.

Segundo ele a violência que assombra os estudantes que temem não poder frequentar as escolas amedronta também professores, fere o direito de ir e vir e o direito à educação. A situação é de caos social, destaca Formiga. “Temos o cidadão buscando, querendo e desejando frequentar a escola, mas, condições psicossociais da violência (gangs, condutas desviantes, uso de drogas, etc.) têm o poder de inibir esse direito”, explicou o professor Nilton Formiga.

O especialista considera ainda a conduta do Estado contraditória, no sentido de instigar e propagar nas crianças e adolescentes o valor da educação, mas não garantir o acesso a esse direito por falhas na segurança pública. “Honestamente, o Estado quer ou não quer que essa meninada estude, seja culta?! Ou se entregue ou não as ‘gangs’?! Ou se vai à escola para ser culto ou para comprar drogas; ou vai à escola para saber trabalhar as frustrações pessoais e limites ou vai aprender a ‘soltar tapas e murros’. Isto é muito frustrante para família e professores”, disse.


Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPPB irá investigar prefeito após ele ser o 1º a tomar a vacina contra a covid-19

O fato do prefeito da cidade de Pombal, Abmael Lacerda, mais conhecido como dr. Verissinho ter sido o primeiro na cidade a tomar a vacina contra a covid-19, vai ser…

Leis e ações da ALPB em 2020 protegem a saúde dos paraibanos na pandemia

Diante da atual crise sanitária global, a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) tem produzido ainda mais propostas com o intuito de amenizar os danos causados pela pandemia do novo coronavírus…