A decisão do Papa Bento XVI de viajar a Israel, apesar da delicada situação política neste país, foi chamada neste sábado de gesto "corajoso" pelo porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

 

"Há muita incerteza política e muitas divisões internas. As tensões continuam nesta região, tão afetada pelos conflitos recentes e marcada pela guerra que tem devastado a Faixa de Gaza e ferido profundamente seu povo", declarou Lombardi à Rádio Vaticano.

 

"Viajar a Israel foi uma decisão corajosa", comentou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé.

 

Bento XVI confirmou na quinta-feira que visitará Israel, em uma tentativa de atenuar as polêmicas com os judeus depois da reintegração à Igreja de um bispo que nega a existência do Holocausto.

 

Na ocasião, o Papa condenou os que negam o Holocausto e advertiu que "negar ou minimizar este crime é intolerável e inaceitável".

 

Da AFP Paris

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, morre aos 61 anos

Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, morreu aos 61 anos. A informação foi confirmada por seu empresário em um comunicado oficial. Segundo as informações, a cantora morreu na manhã desta terça-feira…