O mundo poderá acompanhar neste domingo, 3 de dezembro, a primeira e última Superlua de 2017.

O fenômeno ocorre quando a Lua atinge seu ponto de maior proximidade em relação à Terra, o perigeu, algo que já aconteceu quatro vezes neste ano, mas na fase nova, ou seja, quando não é possível enxergar o satélite natural.

No entanto, o domingo será de Lua cheia, e o astro deve aparecer cerca de 7% maior do que o normal no céu noturno. Pouco antes da meia-noite de 4 de dezembro, o satélite chegará a aproximadamente 357 mil quilômetros da Terra.

"Superlua não é um termo científico, mas é eficaz para descrever o fenômeno, que diz respeito tanto à Lua cheia quanto à nova", diz o astrofísico italiano Gianluca Masi.

Se 2017 foi escasso em termos de Superluas, 2018 deve começar a todo vapor, já que serão duas "edições" do fenômeno somente em janeiro, nos dias 2 e 31. Esta última ainda terá um acréscimo: um eclipse lunar total, mas que só será visível na Austrália.

Terra

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Inteligência digital na Paraíba usa tecnologia israelense

Uma tecnologia israelense vem sendo utilizada para promover inteligência digital no mercado paraibano. A intenção é atingir o público-alvo de empresas de forma direta e assertiva, usando soluções eficientes com…