Um porta-voz da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos afirmou que 14 pessoas morreram neste domingo (22) com a queda de uma avião em Montana, Estado localizado ao norte do país, por volta das 18h30 (horário de Brasília). Karen Byrd confirmou na noite de ontem o número de mortos no acidente com a aeronave de pequeno porte, que partiu de Orville, na Califórnia, e deveria pousar em Bozeman. Anteriormente, autoridades haviam divulgado a informação que 17 pessoas haviam morrido, sendo a maioria crianças. De acordo com as últimas declarações das autoridades, as vítimas fatais do acidente são, na verdade, sete crianças e sete adultos.
 

O porta-voz afirma que o piloto cancelou o plano de voo e desviou o avião para Butte, em Montana. A aeronave caiu em um cemitério, a cerca de 150 metros do aeroporto, e pegou fogo. "Nós achamos que, provavelmente, era uma viagem para crianças esquiarem", afirmou o porta-voz. Não há vítimas em terra.

Um vizinho do aeroporto que testemunhou o acidente, Kenny Gulick, 14, disse ao jornal "The Montana Standard" que o piloto perdeu o controle e se chocou contra as árvores de um cemitério junto ao aeroporto. Há relatos de que ventava muito na região pouco antes do acidente.

O avião está no nome de uma empresa do Oregon, mas não há informações sobre quem operava o voo. A aeronave Pilatus PC-12 foi produzida em 2001. Um investigador deve analisar as causas do acidente.

A queda de hoje é o terceiro maior acidente aéreo registrado este ano nos EUA. O maior deles foi o pouso de emergência realizado por um avião da US Airways no rio Hudson, em Nova York, em janeiro. Todos as 155 pessoas a bordo, entretanto, sobreviveram. O segundo foi a queda de um avião sobre uma casa no subúrbio de Buffalo, também em Nova York, em fevereiro, que matou todos os 49 passageiros e um homem em terra.

UOL

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário