O presidente americano, Barack Obama, deve anunciar hoje a criação de um fundo de US$ 634 bilhões para reformar o sistema de saúde do país nos próximos dez anos. O plano –que deve ser enviado ao Congresso nesta quinta-feira como parte da proposta de Orçamento do ano fiscal de 2010– prevê aumento dos impostos dos mais riscos para custear o fundo.

A proposta deve aumentar os impostos e reduzir as deduções de famílias que ganhem mais de US$ 250 mil dólares por ano, começando em 2011.

Analistas preveem que os US$ 634 bilhões são um pouco mais da metade do montante necessário para reformar o sistema e garantir o acesso de 46 milhões de americanos –hoje sem cobertura– ao sistema de saúde. A outra metade viria de uma tentativa de tornar o sistema mais eficiente.

As linhas gerais do plano, inclusive a cifra de US$ 634 bilhões foram divulgadas nesta quarta-feira por um membro da Casa Branca que falou sob a condição de anonimato.

Mais detalhes sobre o plano e sobre seu custeio devem ser discutidos pelo Congresso após o Executivo enviar a proposta de Orçamento. Além disso, a Casa Branca fará uma conferência sobre saúde na semana que vem.

A reforma do sistema de saúde, permitindo o acesso das camadas mais baixas da população, foi uma das principais promessas de Obama na campanha eleitoral e vai no sentido contrário à política de seu antecessor, George W. Bush, no setor.

Além das propostas para área da saúde, a proposta de orçamento que deve ser enviada hoje ao Congresso também pedirá mais US$ 75 bilhões de dólares para as guerras no Iraque e no Afeganistão. A proposta também deve prever a redução do déficit americano no ano fiscal de 2010 para US$ 533 bilhões.

 

 

UOL

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário