Por pbagora.com.br

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apresentará na sexta-feira, 27, a nova estratégia do governo para o Afeganistão, que inclui o envio de mais 4 mil soldados ao país asiático. O presidente da Comissão das Forças Armadas do Senado, Carl Levin, disse nesta quinta aos jornalistas que esse contingente pode partir em junho para o Afeganistão, onde terá como missão treinar as tropas
Afegãs.

 

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, confirmou nesta quinta que o líder entrou em contato com legisladores americanos para informar sobre o conteúdo da revisão e a anunciará de maneira oficial na sexta. Obama "está ligando e informando membros do Congresso sobre as conclusões dessa revisão, que o presidente anunciará amanhã na Casa Branca", afirmou Gibbs.

 

Apesar de o porta-voz não ter explicado o conteúdo do relatório, Levin deu alguns detalhes. "Haverá um grupo significativo com missões de treinamento que sairá, creio, em junho", disse. Questionado sobre se o número chegaria a quatro mil, como tinham antecipado alguns veículos de comunicação, o senador respondeu: "Não vou contradizer essa afirmação."

 

Levin falou depois que o enviado do Governo de Obama para o Afeganistão e Paquistão, Richard Holbrooke, foi ao Congresso para informar os legisladores sobre o conteúdo do documento. O novo contingente se somaria aos 17 mil soldados adicionais já anunciados por Obama em fevereiro e que chegarão ao Afeganistão ao longo dos próximos meses para reforçar os cerca de 36 mil militares americanos que se encontram no país atualmente.

 

Além das tropas adicionais, a revisão estratégica prevê também o envio de centenas de funcionários civis, que teriam o objetivo de fortalecer as instituições de governo afegãs e assessorar em matéria agrícola.

 

A imprensa americana afirma que as prioridades que a revisão estabelece para o Afeganistão passarão a ser o aumento da segurança das tropas dos EUA e a população civil afegã, e a eliminação da ameaça representada pela rede terrorista Al-Qaeda. Obama deve levar a revisão estratégica à cúpula do 60º aniversário da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na próxima semana em Estrasburgo, França, e Kehl, Alemanha.

 

estadao.com.br

Deixe seu Comentário