Por pbagora.com.br

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira, 21, que alguns dos suspeitos de terrorismo detidos na base naval de Guantánamo podem ser transferidos para prisões de segurança máxima em território americano ou julgados por cortes civis. Em seu discurso sobre a segurança nacional, Obama disse ainda que alguns suspeitos poderão ser julgados em cortes civis no país, mas ressaltou que não permitirá que nenhum detento coloque em perigo o povo americano e que já foram identificados 50 presos que podem ser transferidos para países estrangeiros.
 

Obama defendeu sua decisão de fechar a prisão de Guantánamo, qualificando o local como "uma bagunça". Segundo o presidente, a própria existência da prisão em território cubano compromete a segurança nacional norte-americana e serve como um posto de recrutamento para a rede da Al-Qaeda. Obama argumentou que aproximadamente 500 detentos já foram libertados pela administração George W. Bush. O presidente afirmou que manter a prisão é um revés para a "autoridade moral que é a maior moeda da América no mundo". "O problema sobre o que fazer com os detentos de Guantánamo não foi causado pela minha decisão de fechar o local; o problema existe, primeiramente, por causa da decisão de abrir Guantánamo".

 

Estadão

Deixe seu Comentário