Por pbagora.com.br

Uma série de tremores secundários interrompeu nesta quinta-feira o trabalho de equipes de resgate, que removiam escombros em busca de sobreviventes do terremoto de segunda-feira na região central da Itália, que matou 278 pessoas e deixou milhares de desabrigados.

Enquanto o país conta seus mortos, a terra não para de tremer. Um novo tremor, de 5,3 graus na escala Richter, atingiu o centro da Itália na noite desta quarta-feira (8) e uma última réplica foi registrada já no início da manhã, de 3,1 graus. Não há notícias de novas vítimas.

O tremor que causou toda a devastação na segunda-feira (6) registrou entre 5,8 graus e 6,3 graus na escala Richter.

As réplicas aterrorizam os sobreviventes – 17 mil deles passaram outra noite fria nas tendas improvisadas após perderem suas casas. "Nós perdemos tudo, mas estamos agradecidos por estarmos vivos. Os funcionários do resgate são verdadeiros anjos", disse à agência de notícias Associated Press Anna Chiara, que estava em uma tenda com seu marido na cidade de L’Aquila.

Os bombeiros ainda procuram por sobreviventes, porém, o país já começou a enterrar as primeiras vítimas do terremoto. Em Pescara, o caixão de um jogador de futebol, de 24 anos, foi conduzido sob aplausos para uma igreja.

O governador da região de Abruzzo, Gianni Chiodi, disse que ainda há 10 pessoas desaparecidas entre os escombros. O ministro do Interior afirmou que as buscas vão continuar pelo menos até a Páscoa.

Enterro coletivo

A principal cerimônia vai acontecer em L’Aquila, principal cidade devastada pelos tremores. Os funerais solenes foram marcados para sexta-feira (10) de manhã. Será um enterro coletivo.

A imprensa local anunciou a chegada do presidente da República, Giorgio Napolitano, a Abruzzo esta manhã para homenagear as vítimas do terremoto e para se reunir com a Defesa Civil.

À medida que as horas passam, a esperança se transforma em agonia, dos familiares e dos bombeiros. Desde a manhã desta quarta, nenhum sobrevivente foi encontrado. Entre os mortos já confirmados estão 16 crianças.

Se há indignação é com o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que comparou a situação dos que estão abrigados em barracas de lona a um fim de semana num camping. "Eu quis apenas animar as pessoas", disse Berlusconi.

Punição severa para saqueadores

O primeiro-ministro anunciou punições severas para quem praticar saques e mandou o Exército vigiar as casas. Dezenas de roubos já foram registrados na periferia de L’Aquila.

Nesta quarta-feira, a cantora Madonna anunciou a doação de US$ 500 mil dólares para os sobreviventes. O papa Bento XVI prometeu visitar a província depois da Páscoa.

 

G1

 

Deixe seu Comentário