O ministro das Finanças do Japão, Shoichi Nakagawa, anunciou que renunciará ao cargo depois que canais de TV o mostraram supostamente embriagado durante uma conferência do G7 (grupo dos sete países países mais ricos) em Roma (Itália), no sábado passado (14).

 

Na gravação, Nakagawa, 55, aparece sonolento, se expressando com dificuldade e com a voz alterada. Nesta segunda-feira (16), ele negou que tivesse bebido e atribuiu sua alteração aos medicamentos que tomou para tratar um resfriado.

 

Nesta terça-feira, contudo, ele decidiu que vai desocupar o ministério depois que a oposição anunciou que entraria com um pedido para sua renúncia. De acordo com a agência de notícias Kyodo, o ministro pediu desculpas pelo fato e manteve o argumento de que não consumiu bebidas antes do encontro.

 

Os canais de televisão do país exibiram reiteradamente as imagens de Nakagawa, conhecido por apreciar vinho, respondendo com dificuldades à imprensa no sábado à noite, com o olhar perdido e até dormindo em alguns momentos.

 

Nakagawa é um importante aliado do primeiro-ministro Taro Aso, que enfrenta sérios problemas de popularidade aprofundados em decorrência da crise financeira. O índice de aprovação do premiê caiu para 9,7%, segundo uma pesquisa da TV Nippon, o pior resultado desde 2001, na administração Yoshiro Mori.

 

A economia japonesa está em recessão desde novembro de 2007 e, no último trimestre de 2008, encolheu 12,7%, a maior queda desde 1974.

 

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário