Um juiz russo ordenou nesta sexta-feira a reabertura da investigação do assassinato da jornalista da oposição Anna Politkovskaya, um dia depois da absolvição dos três suspeitos do crime, informaram agências de notícias russas.

 

"Como o júri decidiu que os irmãos [Djabraïl e Ibraguim] Makhmoudov e Sergueï Khadjikourbanov não estão envolvidos neste crime, o caso deve ser reenviado ao Comitê de investigação da promotoria russa, para encontrar as pessoas envolvidas neste crime", declarou o juiz Evgueni Zoubov, encarregado do caso Politkovskaya, citado pela Interfax.

 

A jornalista foi morta a tiros, em 7 de outubro de 2006, quando saía de um supermercado. Na época, Politkovskaya publicou reportagens com denúncias de corrupção no governo. O assassinato da jornalista provocou uma crise no país e o Kremlin recusou qualquer envolvimento no crime e pediu investigação.

 

Antes do veredicto que inocentou os principais suspeitos, nesta quinta-feira (19), a família de Politkovskaya, os amigos e ex-colegas acusaram os promotores de fracassar em resolver o crime, um dos piores legados do governo do então presidente Vladmir Putin, hoje primeiro-ministro.

 

Advogados da família de Politkovskaya afirmaram que os três homens eram apenas fantoches e que os verdadeiros assassinos –incluindo o suspeito de ter apertado o gatilho e quem quer que tenha ordenado a morte– estão a solta.

 

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário