Um homem matou quatro pessoas numa vizinhança cubana de Miami neste domingo, 15, e depois cometeu suicídio em sua residência, de acordo com a polícia local. O motivo do crime teria sido descontentamento com uma separação conjugal.
 

Os policiais receberam um chamado pouco depois da meia-noite, afirmando que diversos tiros haviam sido disparados e que uma caminhonete vermelha tinha sido vista deixando o local. Quando chegaram até o endereço, encontraram quatro corpos.

 

Juan Sosa, que mora a um quarteirão do local do crime, estava passeando com seu cachorro e ouviu dois tiros. Então viu pessoas correndo em sua direção e gritando, e ouviu cerca de dez tiros. Ele se escondeu atrás de uma árvore para chamar a polícia. "Eu não queria tomar um tiro", disse ele.

 

Pouco tempo depois, alguém ligou para a polícia e disse que um prédio, localizado a aproximadamente cinco quilômetros da vizinhança onde ocorreram os disparos, estava em chamas. A pessoa também disse ter ouvido disparos. Foi nesse local que a polícia encontrou o suposto atirador.

 

Janseen Almodovar, que vive em uma rua próxima à residência que pegou fogo, correu para fora quando ouviu as pessoas gritando e buzinando. Ele disse que todo o imóvel e um caminhão estavam em chamas. "Achávamos que o caminhão ia explodir", disse Almodovar.

 

A polícia não divulgou os nomes das vítimas porque as famílias ainda não foram notificadas.

 

Abel Loredo, proprietário do imóvel onde o suposto atirador suicidou-se, disse que o homem vivia no local há cinco anos e sempre esteve em dia com o aluguel. Ele disse que o homem havia se mudado de Cuba há aproximadamente dez anos e era eletricista.

 

Vizinhos disseram que o homem não tinha problemas com a polícia e que sua esposa era vista algumas vezes fazendo churrasco no quintal. As informações são da Associated Press.

Estadão

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário