O gay brasileiro que fez um pedido de asilo nos Estados Unidos afirma que tanto ele como o seu marido americano estão sofrendo uma “injustiça”. Em entrevista por e-mail ao G1, Genesio Januario Oliveira Junior, de 29 anos, diz ainda que se mantém escondido no Brasil, “um país bem preconceituoso”, por “precaução e segurança”. O pedido de asilo é, segundo ele, por temer perseguição por causa de sua sexualidade.

Oliveira se casou com o americano Tim Coco em 2005, em Massachusetts, quando ainda tinha apenas o visto de turista, segundo a mídia americana, depois que eles se conheceram em um bar em Boston. O estado de Massachusetts permite o casamento homossexual, mas, pela lei federal, não garante a um estrangeiro que ele possa permanecer no país legalmente.

O caso ganhou repercussão após Oliveira e Coco entrarem com um pedido de asilo argumentando que tinham medo de que ele sofresse novos atos de preconceito e agressão no Brasil por ser homossexual e depois de o americano ter conversado pessoalmente com o senador e ex-candidato à presidência dos EUA John Kerry.

Kerry, por sinal, pediu ao Departamento de Justiça que reconsidere o caso e conceda asilo diplomático ao brasileiro. Oliveira também enviou uma carta, no ano passado, para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para o então presidente americano George W. Bush e para o ministro das Relações Exteriores Celso Amorim.

“O Brasil, como deve saber, é superpreconceituoso e há muitas perseguições a homossexuais, não só moralmente como fisicamente. O Brasil, apesar de reconhecer matrimônios entre casais de mesmo sexo para imigração, a população em si não respeita casais de mesmo sexo. A polícia do Brasil já participou de vários crimes contra homossexuais segundo o grupo Gay da Bahia. Um motivo a mais para ser cauteloso em pedir ajuda”, afirmou ele.

Na corte americana, Oliveira diz que contou os detalhes do abuso sexual sofrido quando era jovem. “Meu pedido foi aceito como acreditável e genuíno, mas mesmo assim por razões inexplicáveis o juiz (Francis) Cramer não me deu o asilo, e não levou em consideração de que eu era casado com um cidadão americano, e que não me dando o asilo, além de eu correr risco no Brasil, estaria me separando de meu esposo e amigos”, afirmou. Segundo a mídia americana, o juiz negou o pedido de asilo dizendo que ele não sofreu dano físico no episódio de sua adolescência, segundo a carta do senador.

“Nosso objetivo era tentar levantar essa questão de nossa separação com uma autoridade maior dos Estados unidos, dizendo que um cidadão americano estar sofrendo injustiça de seu governo, por estar separando o de sua família e que eu, cidadão brasileiro, estava sendo injustiçado também”, completou.
 

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário