MADRI – Um carro-bomba explodiu em Madri, sem causar vítimas, nesta segunda-feira, 9. O ataque aconteceu em uma área onde ficam centros de convenções e empresas, menos de duas horas após a Cruz Vermelha espanhola receber um aviso em nome da organização terrorista ETA, segundo a polícia.

 

O atentado acontece horas depois de a Corte Suprema espanhola impugnar as listas das plataformas Askatasuna e Democracia 3 Millones para as eleições regionais do País Basco do próximo dia 1 de março, por sua vinculação com o braço político da ETA. É a primeira vez que candidaturas próximas à organização terrorista não poderão se apresentar às eleições regionais bascas.

 

A explosão, que pôde ser escutada em uma extensa zona da cidade, segundo testemunhas, aconteceu em frente à sede da construtora Ferrovial Agromán, onde a polícia havia localizado uma caminhonete suspeita. No centro de coordenação da Cruz Vermelha, foi recebida uma ligação anônima às 7h37 (4h37, Brasília) alertando sobre a colocação de um carro-bomba na zona conhecida como Campo de las Naciones, onde ficam centros de convenções e sedes de empresas.

 

 

Segundo o jornal espanhol El País, Alfredo Pérez Rublacaba, foram quatro os avisos da Eta sobre o carro-bomba, entre eles para a Cruz Vermelha e o Corpo de Bombeiros. Segundo a organização, o telefonema dizia "Ligo em nome da ETA. Colocamos uma caminhonete-bomba na rua Ribera del Loira, junto ao edifício da Ferrovial-Agromán que explodirá às 9 horas". Pouco depois, a polícia isolou toda a área. O veículo detonado foi roubado durante a noite em Valdemorillo (Madri).

 

estadao.com.br

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário