Por pbagora.com.br

A vantagem de Donald Trump também caiu na Pensilvânia, para 18.042 votos, na manhã desta sexta-feira (6).
Projeção aponta 264 votos para Biden e 214 para Trump no Colégio Eleitoral; se liderança de Biden na Geórgia for mantida, ele alcança 280 votos dos delegados e vence

Com 97% da apuração projetada, o atual presidente tem 3.285.965 votos, contra 3.267.923 de Joe Biden. A diferença no momento é de 0,27 ponto percentual (49,56% a 49,29%).

Há três horas, a vantagem do republicano era de 22.398 votos. No início da apuração, na madrugada de quarta-feira (4), a distância chegou a ser 14 pontos percentuais.

Jo Jorgensen, candidata do Partido Libertário, tem 76.135 votos (1,15%).

O candidato Joe Biden repetiu a iniciativa de pedir calma aos eleitores mais ansiosos com a apuração.

Biden vem agindo como prometeu: discretamente. Acompanha a apuração em casa com a família. Fez um pronunciamento no fim da tarde que durou menos de dois minutos. Disse que o voto americano é sagrado, que é como as pessoas expressam a vontade delas, e disse que cada voto precisa ser contado.

Joe Biden disse que a democracia, às vezes, é uma bagunça, algumas vezes requer paciência, mas que é por isso que os Estados Unidos têm um sistema de governo que há 240 anos é a inveja do mundo. Pediu calma e disse que o processo está funcionando e que a contagem dos votos vai ser finalizada.

Para falar dos assuntos espinhosos, ele coloca os assessores. Em uma transmissão pela internet na manhã desta quinta (5), o conselheiro jurídico da campanha disse que as ações de Donald Trump na Justiça não têm outra função a não ser confundir o público e criar distração.

A campanha também afirmou que não canta vitória no estado do Arizona. A agência Associated Press, que tradicionalmente faz a contagem não oficial de votos, declarou horas depois da eleição que Biden é o vencedor no estado. Mas outros veículos de imprensa ainda dão o Arizona como indefinido.

G1

Deixe seu Comentário