Um avião da Continental Airlines, que fazia o trajeto de Newark, em Nova Jersey, para Buffalo, no estado de Nova York, caiu em uma área residencial de Clarence Center, no subúrbio da cidade.

 

 

O acidente ocorreu às 22h10 (horário local, 01h10 no horário de Brasília) de quinta-feira (12), matando os 48 ocupantes, informou a Federal Aviation Administration (Administração Federal de Aviação, FAA), na madrugada desta sexta-feira (13).

 

A FAA disse que a aeronave do voo 3407, um Dash Q400 Bombardier operado pela Colgan Airways para a companhia aérea Continental, transportava 44 passageiros e quatro tripulantes e caiu sobre uma casa. Autoridades locais confirmaram a morte de uma pessoa em terra, totalizando 49 mortes até agora.

 

 

A FAA também informou que seus especialistas iriam começar a apurar as causas do acidente logo ao amanhecer.

 

A Continental Airlines disse que o avião levava 44 passageiros e 4 tripulantes.

 

 

Em mensagem em seu site, a empresa expressa pesar e solidariedade aos familiares das vítimas e diz que vai montar um ponto de assistência às famílias na cidade e divulgou um telefone para informações: 55-1-800-621-3263. A lista com os nomes das vítimas ainda não foi divulgada.

 

 

 

Foto: AP Bombardier Dash-8 Q400, modelo similar ao da aeronave da Continental Airlines que caiu em Buffalo. (Foto: AP)A empresa também disse que a Colgan, que é uma terceirizada, está "colhendo informações" sobre o acidente.

 

 

O porta-voz do Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB), Ted Lopatkiewicz, disse, em coletiva de imprensa que o voo da Continental caiu a cerca de 11 km do Buffalo Niagara International Airport.

 

 

Imagens da CNN mostram uma área em chamas. A rede de TV informa que pelo menos 12 casas foram interditadas na região.

 

 

A rede CNN teve acesso ao áudio da comunicação entre a torre de comando e a tripulação antes do acidente. Segundo a rede, não havia nada de incomum na voz dos tripulantes. Cerca de dois minutos depois, os controladores tentaram contato e não conseguiram. Pediram então para que um avião que estava por perto para avistar o Dash, e o piloto respondeu que não via nada.

 

 

 

Céu laranja

 

"Todo o céu ficou laranja", disse Bob Dworak, que mora próximo ao local do acidente. "De repente, houve um grande estrondo, e a casa explodiu."

 

 

Em entrevista à CNN, Keith Burtis, outro morador, disse que estava dirigindo rumo a uma loja a cerca de 1,5 km do local do acidente quando o avião caiu. “Foi um estrondo”, contou. “Como se fosse um pequeno terremoto."

 

 

Bombeiros tentavam ainda controlar o incêndio no local na manhã desta sexta, sob o olhar desolado dos moradores.

 

 

Doze casas próximas tiveram de ser evacuadas por medida de segurança.

 

 

Duas mulheres que seriam moradoras do local estavam hospitalizadas, mas não corriam risco de morrer.

 

 

Chris Collins, autoridade do condado de Erie, disse que o local do acidende ainda estava "quente" demais para que começassem as investigações. Segundo ele, o avião levava 2,2 toneladas de combustível, que aparentemente explodiram.

Uma autoridade da Prefeitura de Buffalo disse que foi "impressionante" o fato de que o avião destruiu apenas uma casa.
 

 

A CNN informou, citando o jornal "Buffalo News", que uma das pessoas que morreram, Beverly Eckert, era viúva de uma vítima dos ataques de 11 de setembro e que ela estava indo para Buffalo para lembrar o que seriam os 58 anos do marido.

 

 

Este foi o primeiro acidente fatal de um avião comercial de grande porte nos EUA desde que, em agosto de 2005, um jato da Comair saiu da pista no Kentucky.
 

 

O NTSB afirmou que mandou uma equipe de investigadores para Buffalo na manhã desta sexta-feira (13). Richard Kolko, porta-voz do FBI, disse que não há nenhum indício de que o acidente tenha relação com questões de segurança.

 

G1

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário