Por pbagora.com.br

Gol de estreante, 10 minutos de acréscimos, empate aos 52 e briga generalizada com direito a intervenção policial e spray de pimenta. O empate em 1 a 1 entre Manaus FC e Treze, na Arena da Amazônia, na capital amazonense, pela sexta rodada da Série C, teve tantos episódios que quase não couberam nesse resumão. O Galo abriu o placar com o estreante Gilvan, regularizado na sexta, e o Gavião buscou o empate com Matheusinho, aos 52 da segunda etapa. O gol gerou uma briga generalizada, o batalhão de choque interviu, usou spray de pimenta, e a bola não rolou mais. Terminou antes do tempo estabelecido nos acréscimos.

O time da casa precisava da vitória para entrar no G4, mas, ao menos com o empate, se manteve distante da zona do rebaixamento, com sete pontos. Já o Treze, que tinha tudo para conseguir sua primeira vitória na competição, viu o sonho ser frustrado no apagar das luzes, somou apenas um ponto, foi a dois no geral e deixou a lanterna para o Imperatriz, porém, segue na zona do rebaixamento, com somente dois pontos.

O Manaus quase viu sua invencibilidade de 16 jogos – dois anos e três meses – na Arena da Amazônia ir por água abaixo, mas, com o empate aos 52, não só manteve a escrita, como ampliou a marca para 17 jogos. Considerando apenas competições nacionais, o time não perde em casa desde junho de 2018. De lá para cá são 13 jogos entre Série D, Copa Verde, Copa do Brasil e Série C.

pesar de fora de casa, foi o Treze quem começou melhor na partida. E, com menos de dois minutos, após bola mal afastada em cobrança de escanteio, Alexandre Santana chutou forte da entrada da área e parou em defesa de Jonathan. Aos poucos, o time da casa, mesmo sem a posse de bola, passou a dominar o meio de campo e criar boas chances. Numa delas, o Gavião apertou a marcação e forçou o erro na saída de bola do Galo. Rennan ficou com a sobra, tocou em Paulinho, que saiu da área, girou sobre a marcação e mandou uma bomba, para grande defesa de Andrey.

O Treze, com caras novas e precisando do resultado para sair da zona do rebaixamento, demonstrava dificuldade para chegar por baixo e, assim, passou a levar perigo nas bolas alçadas na área, seja com Douglas Lima ou com Gustavo. Numa delas, Breno dividiu espaço com Edvan, mas, bem marcado, só conseguiu encostar com a barriga, quase debaixo da trave, mas parou em defesa de Jonathan. O Manaus dava a bola e saía no contra-ataque. Assim, chegou uma vez com Janeudo e, no mais bem trabalhado, Paulinho desperdiçou ao tentar a jogada individual.

Segundo tempo
O Manaus voltou com duas mudanças do intervalo, mas foi o Galo quem abriu o placar, logo aos sete minutos. Alexandre Santana recebeu de Douglas Lima, puxou toda a marcação para si e tocou na direita para Gustavo. O camisa 7 cruzou de primeira para Gilvan, que apareceu livre de marcação e abriu o marcador. Depois, o goleiro estreante Andrey se machucou e deu lugar para Renan. O time da casa, atrás do marcador, até tentava imprimir seu jogo, mas, sem meio de campo, passou a apelar para as jogadas individuais de seus pontas, principalmente com Luizinho, que arrancou duas faltas na entrada da área.

Aos 47, Marcos Vinícius foi expulso e mudou o cenário do jogo. Hamilton, que entrara as 40, passou a ser procurado na área. Na primeira tentativa, ele escorou para Diogo Peixoto, que disputou com Renan, mas a bola sobrou limpa para Paulinho Simionato, que isolou sem goleiro. Aos 52, em jogada parecida, Hamilton escorou cobrança de lateral no primeiro pau, Matheusinho surgiu livre no segundo e deixou tudo igual. E foi aí que a confusão começou. Foram 10 minutos de bate-boca, peitadas e intervenção policial. Mesmo faltando três para os 10 minutos de acréscimos, o árbitro resolveu encerrar a partida.

Próxima rodada
O Manaus volta a campo no próximo sábado, contra o Santa Cruz, no mesmo local, pela 7ª rodada da competição nacional. Já o Treze, que ainda busca seus primeiros três pontos, recebe o Jacuipense-BA no mesmo dia, mas no estádio Amigão, em João Pessoa.

Globoesportes.com

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Morre aos 60 anos jogador Argentino, Diego Maradona vítima de parada cardíaca

Maior jogador da história do futebol argentino, Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25) aos 60 anos. Segundo o jornal argentino “Clarín”, Maradona sofreu uma parada cardiorrespiratória. Diego Armando Maradona…

Flamengo empata com o Racing e volta ao Brasil com vantagem

Racing e Flamengo protagonizaram uma partida tensa, cheia de possibilidades de um placar mais elástico, mas o empate em 1 a 1 no Estádio El Cilindro, em Buenos Aires, deixou…