Por pbagora.com.br

Graças a um gol solitário de Dagoberto, o São Paulo venceu o Vitória neste domingo à tarde, no Barradão, em Salvador, e acabou com a invencilidade da equipe baiana em casa neste Brasileirão. Até então, o Leão havia disputado sete partidas em seu estádio, vencendo seis e empatando um. Ao garantir o triunfo tricolor por 1 a 0, Dagoberto mais uma vez foi decisivo. Contra o Grêmio, quinta passada, ele já havia feito os dois gols de sua equipe na vitória por 2 a 1.

 

Agora, o São Paulo aparece em sétimo lugar, com 24 pontos, e consolida sua recuperação na competição. O Vitória também tem 24, mas fica em sexto por ter uma vitória a mais.

O Leão volta a campo na próxima quinta-feira, quando enfrentará o Barueri, às 21h (horário de Brasília), em Barueri. Já o Tricolor, na quarta, às 21h, recebe o Botafogo, no Morumbi.

 

 

Vitória começa melhor, mas São Paulo chega mais perto

 

 

O Vitória começou melhor a partida. Bem ao seu estilo, partia com muita velocidade para cima do São Paulo, explorando sobretudo as descidas do lateral-direito Apodi. Muito rápido, e sem posição fixa, o ala sempre chegava à frente de seus marcadores. Os volantes Magal, Vanderson e Leandro Domingues também chegavam de trás com perigo. O primeiro lance de perigo foi justamente de Vanderson. Aos cinco, após boa troca de passes, o volante apareceu pelo meio chutando forte de pé direito. A bola veio cheia de efeito e o goleiro Dênis, do Tricolor, defendeu no susto.

 

O São Paulo apresentava dificuldades para sair jogando. Isso porque o time baiano marcava muito forte no meio, sufocando os armadores de jogadas são-paulinos: Jorge Wagner e Hernanes. Isso fez com que Dagoberto voltasse para tentar buscar a bola, isolando Borges à frente.

A partir dos 25, porém, o São Paulo começou a controlar a posse de bola no meio-de-campo e a criar algumas chances. Borges teve tudo para marcar em dois lances consecutivos. Aos 28, ele apareceu sozinho na área, após ótimo passe de Dagoberto. Na hora do chute, porém, Fábio Ferreira travou. Em seguida, aos 29, o atacante tricolor aproveitou-se de bobeira da zaga baiana e cabeceou sozinho. No entanto, errou o alvo.

 

À medida que o primeiro tempo ia se aproximando do fim, o São Paulo parecia cada vez mais perto do gol. Aos 47, a chance bateu na trave. Jorge Wagner cobrou falta colocada. A bola bateu no travessão, no dedo indicador esquerdo do goleiro Viáfara e saiu. No lance, o camisa 1 do Vitória acabou sofrendo uma luxação no dedo atingido e teve de ser substituído por Gléguer (assista ao lance no vídeo).

 

 

São Paulo coloca a bola no chão e garante vitória

 

O segundo tempo começou amarrado, com os dois times mais preocupados em destruir jogadas adversárias do que em criar algum lance de perigo. Começou então um festival de chutões para frente. A estratégia até poderia dar certo se os times tivessem atacantes fixos na frente. O problema é que os dois técnicos tiraram os centroavantes e colocaram jogadores de meio. No Vitória, Itacaré se machucou e foi substituído pelo volante Bida. Do lado são-paulino, Borges saiu para a entrada do meia Marlos.

A solução, evidentemente, era colocar a bola no chão, trocar passes e buscar espaços. O São Paulo entendeu isso. Aos 28, Hugo, que havia entrado no lugar de Jorge Wagner sete minutos antes, acertou belo passe para Dagoberto. Aberto pela esquerda, o atacante cortou para o meio, encontrou o ângulo certo para o chute e encaixou a bola no canto superior esquerdo de Gléguer. Um belo gol.

 

Com a desvantagem, o Vitória tentou partir para cima do adversário, mas esbarrou em um muro tricolor. O time de Ricardo Gomes soube controlar bem as investidas, a posse de bola e acabou com a pose do Leão em sua toca.

 

Com a vitória consolidada, a pequena torcida são-paulina presente ao Barradão gritou em coro:

 

– O campeão voltou! O campeão voltou!

globoesporte.com

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…