Não poderia ter sido pior para o São Paulo. Depois de cinco meses e meio sem saber o que é uma derrota, o time da capital perdeu a invencibilidade em jogo no estádio do Morumbi para uma equipe que teve como destaque o ex-corintiano Marcelinho Carioca. A vitória por 2 a 0 do Santo André foi incontestável, com total domínio do clube do ABC diante de um Tricolor desorganizado, nervoso e sem pontaria.

Tricampeã brasileira, a equipe do técnico Muricy Ramalho não perdia havia 22 jogos (14 vitórias e oito empates). Antes do tropeço deste domingo diante do Ramalhão, o Tricolor só tinha perdido para o Grêmio, por 1 a 0, em Porto Alegre, no dia 17 de agosto de 2008. Depois daquela partida, o clube arrancou para a conquista nacional.

A derrota tricolor veio em péssima hora no Campeonato Paulista. Depois de terminar a terceira rodada na segunda colocação, o São Paulo vai dormir fora da zona de classificação para as finais. E mais: vê o lider Palmeiras abrir cinco pontos na tabela – o também rival Corinthians aparece na vice-lideranças com dois a mais.

O Santo André, que mostrou um excelente futebol neste domingo, chegou a sua segunda vitória neste Estadual, continuou em posição intermediária na classificação e manteve o time do Morumbi sem vencer como mandante – na estreia da competição, o Tricolor havia empatado por 1 a 1 com o Ituano.

São Paulo e Santo André voltam a campo pelo Campeonato Paulista na próxima quarta-feira, dia 4 de fevereiro. O clube do Morumbi joga novamente dentro de casa, agora contra o Bragantino, às 22h. A equipe do ABC, por sua vez, mais uma vez atuará como visitante. O jogo será diante do Mirassol, no interior, às 19h30m.
 

Desconcentrado, mal taticamente e sem poder de conclusão. Assim foi o São Paulo no primeiro tempo da partida desta tarde. Melhor para o Santo André, que teve tudo o que faltou aos donos da casa e conseguiu sair na frente logo de cara. Comandado por Marcelinho Carioca, o time do ABC paulista infernizou a defesa são-paulina.

Logo no primeiro minuto, Jorge Wagner perdeu a bola no meio-campo e viu Chiquinho avançar pela esquerda. O meia tocou para Osny servir Marcelinho Carioca na grande área, mas o camisa 7 chutou para fora. Embora o chute de Dagoberto, aos 5, tenha assustado, o Santo André não se intimidou e surpreendeu o Tricolor.

Aos 6 minutos, após cobrança de escanteio de Marcelinho da direita, Elvis dominou do lado esquerdo do campo e cruzou para Osny. A defesa do São Paulo, mal posicionada, parou pedindo impedimento e deu condições para o atacante cabecear no canto direito do goleiro Rogério Ceni, que sequer se mexeu.

A principal dificuldade do Tricolor era a conclusão a gol. A chegada com perigo à área do Santo André até ocorreu com certa facilidade em alguns momentos, mas o chute não acontecia. Ou então passava longe demais. Aos 10 minutos, por exemplo, a bola ficou na grande área em frente a três atletas do São Paulo e ninguém finalizou.

Foi assim também aos 18, quando o canhoto Jorge Wagner não conseguiu bater de direita e tocou para Washington, que também não acertou a conclusão. Nervoso por conta dos erros, o São Paulo se perdeu em campo. Tanto que Washington levou cartão amarelo por reclamação e Dagoberto por falta violenta em Ricardo Conceição.

Enquanto o São Paulo tentava se acertar, o Santo André levava perigo sempre que chegava à frente. Aos 23, Marcelinho apareceu livre na cara de Ceni, mas mandou para fora. As duas melhores chances do São Paulo ficaram para o fim da etapa inicial. Aos 38, Washington chutou em cima de Neneca. E aos 47, Dagoberto arriscou de longe, Neneca defendeu e, no rebote, Washington, impedido, concluiu para fora.

Insatisfeito com o rendimento tricolor, o técnico Muricy Ramalho voltou para a etapa final com Arouca na vaga de Wagner Diniz. Só que logo aos 4 minutos precisou fazer outra alteração. Hugo teve um mal estar e deu lugar ao atacante Borges. O cenário, porém, continuou o mesmo do primeiro tempo, com o São Paulo perdido.

Sem nenhuma mudança para o segundo tempo, o Santo André manteve o bom futebol da etapa inicial e aumentou sua vantagem. Aos 9 minutos, o atacante Júnior Dutra avançou com liberdade entre os marcadores e chutou forte de fora da área. Mal colocado, Rogério Ceni não alcançou a bola e viu sua rede balançar novamente.

O São Paulo sentiu o gol, ficou nervoso e pedeu Miranda, expulso por falta em Osny. Mas o time da capital não demorou a procurar reação. Aos 16 minutos, Borges apareceu na grande área para desviar de cabeça um cruzamento de Arouca e acertar o travessão do goleiro Neneca. A equipe tricolor, porém, não conseguiu manter a pressão e deu mais espaços para o Santo André trabalhar suas jogadas.

Aos 21 minutos, por exemplo, o clube do ABC teve ótima chance em cobrança de falta do especialista Marcelinho Carioca. O camisa 7 bateu forte de perna direita e obrigou boa defesa de Rogério Ceni no canto direito, rasteiro. Do lado do São Paulo, nada dava certo. Até mesmo o “matador” Washington estava em baixa.

Na cara do gol, aos 27 minutos, o camisa 9 tentou bater colocado no canto esquerdo de Neneca, mas pegou forte demais na bola e mandou longe do gol. Foi preciso Rogério Ceni sair do gol aos 35 para o São Paulo levar perigo ao Ramalhão. Após sofrer com catimba de Marcelinho, o camisa 1 bateu falte e Neneca fez linda defesa.

A reação tricolor, porém, não foi adiante, e o Ramalhão continuou com o domínio da partida. Só não fez mais porque faltou melhor pontaria em alguns momentos.

Globoesporte.com

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Botafogo vence CSA e Bahia tropeça em casa

Do uniforme ao estilo de jogo, o Botafogo mostrou um novo visual e venceu o CSA por 2 a 1, nesta segunda-feira, no Nilton Santos. No segundo jogo sob o…

Alisson, Firmino e Marta são finalistas da Bola de Ouro

A revista France Football divulgou nesta segunda-feira a lista de candidatos ao seu prêmio anual e incluiu três brasileiros entre os candidatos à Bola de Ouro. O goleiro Alisson e o atacante Roberto Firmino, ambos do Liverpool,…