Muitos reclamam que o futebol brasileiro está carente de craques. Isso é um fato. Mas não para os torcedores do Corinthians, que podem bater no peito e gritar: “O Fenômeno é nosso!”. Em sua primeira partida como titular, Ronaldo foi novamente decisivo. Só que desta vez numa vitória. Foi do camisa 9 o gol do triunfo alvinegro por 2 a 1 sobre o São Caetano, no Pacaembu, pela 13ª rodada do Paulistão.

A emoção do corintiano começou logo cedo, quando o placar eletrônico do estádio anunciou a escalação do Fenômeno como titular. Parecia comemoração de título na arquibancada. A entrada do craque em campo também foi sob gritos da Fiel, que se repetiram no momento em ele apareceu no telão cantando o Hino Nacional.

Em retribuição, o atacante arriscou chute já aos 38 segundos de jogo. Mas Luiz defendeu. A falta de ritmo de Ronaldo não deixou a torcida impaciente. Pelo contrário. Parecia que todos sabiam que ele não sairia de campo sem comemorar mais um gol. E assim foi: aos cinco minutos do segundo tempo, após cruzamento de Dentinho, o Fenômeno balançou a rede com chute de primeira, de direita.

Como se fosse o fim de uma peça de teatro, a Fiel se levantou aos 30 minutos do segundo tempo para aplaudir e ovacionar Ronaldo. Desta vez, o atacante atuou por 78 minutos – antes, tinha jogado, respectivamente, 27 e 31, contra Itumbiara e Palmeiras. O suficiente para que ele confirmasse o rótulo de titular absoluto.

A vitória sobre o São Caetano mantém a equipe do Parque São Jorge na vice-liderança do Estadual, atrás apenas do Palmeiras, que tem uma partida a menos.

 

O Corinthians volta a campo pelo Campeonato Paulista no domingo, às 16h, quando enfrenta o Santo André, no estádio Bruno José Daniel, no ABC paulista. O São Caetano, por sua vez, joga no sábado, às 19h10m, em casa, contra a Portuguesa.

Ronaldo precisou de apenas 38 segundos para dar o primeiro chute a gol como titular do Corinthians. Logo de cara, Elias roubou a bola na direita e tocou para Jorge Henrique. O camisa 23 ajeitou para o Fenômeno arriscar de fora da área e ver boa defesa de Luiz. O lance empolgou a Fiel, que foi à loucura na arquibancada.

Só que, poucos segundos depois, a um minuto de partida, a felicidade deu lugar à apreensão. Não fosse Felipe, o São Caetano teria respondido ao chute do craque com o gol. Primeiro o goleiro se esticou para salvar finalização que desviou na zaga. No lance seguinte, o defensor defendeu chute de Tuta.

Com essas duas chances, o Azulão percebeu a desorganização tática do Corinthians e foi para cima. Aos 3 minutos, Vandinho quase marcou. Aos 7, porém, veio uma nova finalização de Ronaldo. O atacante corintiano recebeu ótimo passe de André Santos na esquerda da grande área, mas bateu fraco e facilitou a defesa de Luiz.

Após início acelerado, o duelo entre Timão e Azulão ficou morno. Até que, aos 21 minutos, a equipe visitante decidiu botar fogo. Iran sofreu falta dura de William, advertido com o cartão amarelo. Na cobrança, o próprio Iran mandou para a área. A zaga alvinegra bobeou, Felipe não chegou e Marcelo Batatais fez de cabeça:1 a 0.

Sem aproximação dos setores, o Corinthians sentia dificuldade de chegar ao ataque com toque de bola envolvente. Enquanto isso, o São Caetano explorava bem os lados do campo e chegava com perigo. Mas o Timão não estava morto. E provou isso aos 35 minutos, quando André Santos acertou belo chute de fora da área e empatou.

Ronaldo até que tentou aparecer para o jogo quando a bola estava no ataque, mas a bola não chegava, tamanha era a dificuldade do setor de criação alvinegro.

Não foi tão rápido quanto no primeiro tempo, mas foi decisivo. O primeiro chute a gol de Ronaldo na etapa final aconteceu aos cinco minutos. E foi certeiro. Após cruzamento de Dentinho da direita, a bola passou por toda a zaga do São Caetano e encontrou o craque, livre. De primeira, ele acertou o canto direito de Luiz.

Dessa vez, a comemoração não foi no alambrado, como em Presidente Prudente, mas a Fiel explodiu com a mesma empolgação na arquibancada do Pacaembu. O Fenômeno está em alta. Anotou dois gols em 111 minutos, média bastante superior a todos os atacantes atuais do elenco do time alvinegro.

O gol marcado pelo camisa 9 deixou o Azulão abatido. Tanto que, aos 9 minutos, Jorge Henrique não teve dificuldade alguma para chegar pela direita da grande área e chutar cruzado para boa defesa de Luiz. No rebote, a bola passou em frente a Dentinho, que não alcançou, e perto de Ronaldo, que estava mais longe.

Bem melhor do que na etapa inicial, o Timão dominava as ações do jogo. E chegou com perigo novamente aos 14 minutos. O zagueiro Chicão cobrou falta com chute colocado e obrigou Luiz a fazer boa defesa. Dois minutos depois, foi a vez de o Azulão assustar. Tuta apareceu na esquerda da pequena área, mas bateu mal, e Felipe, bem posicionado, salvou.

Ronaldo pode até estar sem ritmo, acima do peso… mas craque é craque. Aos 19 minutos, o camisa 9 não precisou se esforçar para criar ótima chance para o Corinthians. Na linha do meio-campo, ele gingou em frente a um marcador e deu belo lançamento na esquerda para Dentinho. Só que o jovem não teve sucesso na investida.

 

O departamento médico do Corinthians tinha liberado Ronaldo para 60 minutos. Ele jogou 78. E novamente foi o melhor do Timão em campo. Substituído por Escudero, que conseguiu atingir a marca de seis cartões amarelos em seis jogos, o Fenômeno foi aplaudido de pé pelos corintianos, que cantaram o seu nome. Homenagem muito merecida.

 

globoesporte.com

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário