A Paraíba o tempo todo  |

Covid-19: diretoria do Belo-PB proíbe a presença da imprensa nos treinos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A pandemia causada pelo novo coronavírus provocou mudanças na rotina de praticamente todos os setores e no futebol essa continua a mudar. Ontem (23), a devido as restrições do novo protocolo contra a contaminação pela covid-19 no Estado, o Botafogo voltou a proibir a presença da imprensa nos treinamentos.

As entrevistas e imagens ficarão sob a responsabilidade da assessoria de imprensa do clube. Hoje, a equipe fará apenas um treino técnico-tático como preparação para o jogo de estreia na Copa do Nordeste, sábado, às 16h, contra o 4 de Julho, no Almeidão, em João Pessoa. Amanhã, haverá um treino a partir das 15h, ficando para o dia seguinte, a partir da 8h, a última atividade antes do jogo contra o time do Piauí.

Ainda segundo a assessoria do time as entrevistas dos jogadores com a assessoria de imprensa do clube foram definidas com Zulu nesta quarta-feira e amanhã será a vez de Marcelo Vilar. Por outro lado, a bruxa segue solta na Maravilha do Contorno. O Botafogo já teve 3 baixas no elenco na fase de prétemporada. O primeiro atleta a se contundir foi o atacante Welton, logo no primeiro jogo-treino, contra o CSP. Em seguida, foi a vez do meia Esquerdinha, na partida contra o Vitória das Tabocas, e por último, o atacante Bruno Gonçalves, no jogo contra o Náutico. Dos 3 atletas, 2 já estão fora da Copa do Nordeste e do Campeonato Paraibano. Apenas o atacante Welton já está recuperado e poderá participar dos primeiros jogos do Botafogo na temporada.
O meia esquerdinha fraturou a clavícula e não tem um prazo certo para o retorno, o mesmo acontece com o atacante Bruno Gonçalves, que teve uma lesão no ligamento cruzado do joelho e também não tem previsão de retorno aos gramados.

“O caso mais simples foi o do Welton, que já está liberado. Em relação ao atleta Esquerdinha, ele foi submetido a uma cirurgia delicada na clavícula e o protocolo diz que deverá durar em média 60 dias de tratamento. Já o caso do Bruno é mais grave, se assemelha ao que aconteceu com Rogério e Fred no ano passado e a recuperação dura em média 9 meses. Claro que dependendo da evolução de cada caso, podemos antecipar este retorno. Nós estamos preocupados com a cirurgia do Bruno, porque ainda não pôde ser marcada por causa da pandemia do coronavírus. As cirurgias eletivas estão suspensas e nós estamos tentando uma forma de conseguir fazer a cirurgia o mais rápido possivel”, disse o médico do Botafogo Glauber Novais.

Redação com assessoria

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe