A Paraíba o tempo todo  |
PUBLICIDADE

Renúncia de presidente do Campinense Lênin Corrêa aumenta crise na Raposa

Disputas internas, eleições decididas após intervenção da justiça, falta de planejamento e uma gestão turbulenta. Definitivamente, 2024 é um ano para ser esquecido pela torcida do Campinense.

Quase dois três meses após ser eliminado precocemente do Campeonato Paraibano em uma das piores campanhas da história, a Raposa vive um novo drama. O clube, 21 vezes campeão paraibano, está sem presidente e mergulhado numa crise sem precedentes. Com a Raposa à beira da falência, o empresário Lênin Corrêa apresentou uma carta de renúncia e não é mais presidente do Clube Campinense Clube.

O dirigente assumiu o cargo em novembro de 2023, após uma eleição bastante conturbada, envolvendo eleição complementar e diversas decisões judiciais.

Com a renúncia do empresário, o Vice-Presidente, Flávio Torreão, é quem deve assumir a cadeira deixada por Lênin Correia, que reconheceu erros na gestão, mas apontou que paga um preço, financeiro, pessoal e profissional, por toda uma força política presente no clube rubro-negro.

A gestão de Lênin Correia estava enfrentando uma grande taxa de desaprovação entre a torcida, já que o time não chegou nem perto de cumprir seu objetivo no Campeonato Paraibano, única competição disputada pelo Rubro-Negro em 2024.

A eleição que conduziu Lênin Correia à presidência do Campinense foi bastante conturbada e questionada. Em um primeiro momento, o escolhido para comandar o biênio na Raposa foi Rômulo Leal. Após uma liminar o pleito teve um complemento com 19 sócios passando a integrar a lista de aptos a exercer o direito de voto no Renatão.

Com o complemento da eleição, Rômulo Leal foi ultrapassado por Lênin. No entanto, ainda demorou bastante para que o presidente eleito assumisse o poder, já que o pleito, que aconteceu no dia 1º de novembro, ficou sob judice até a posse da nova diretoria, que só aconteceu no dia 10 do mesmo mês.

O mandato de Lênin Correia acumulou momentos turbulentos do início ao fim. Dentro de campo, o Campinense não correspondeu e foi eliminado, mais uma vez, ainda na 1ª fase do Campeonato Paraibano, impedindo que o clube conquistasse o tão sonhado calendário nacional para a temporada de 2025.

Os jogadores chegaram a fazer uma greve para cobrar salários atrasados. Recentemente, o Campinense sofreu o desligamento de energia e internet por atraso de pagamentos, além de também não pagar seus funcionários.

Sem calendário para 2025, o Campinense disputará apenas o Campeonato Paraibano, e precisa acertar nas contratações para reconquistar o calendário nas demais competições organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 2026. Por enquanto, só resta a torcida esperar.

Severino Lopes
PB Agora

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe