Por pbagora.com.br

Alegria completa para os atleticanos que foram ao Mineirão neste domingo. Depois de verem os garotos do Galo conquistarem o tetracampeonato da Taça BH de Futebol Júnior na preliminar, os torcedores assistiram à vitória suada dos profissionais sobre o Coritiba, por 3 a 2, pela 16ª rodada. Jonílson, Diego Tardelli, novo artilheiro do Brasileirão, e Renan Oliveira, no melhor estilo salvador da pátria, fizeram para os donos da casa. Demerson e Leozinho descontaram para o Coxa. Com o resultado, o time de Celso Roth chega a 31 pontos e encurta a distância para o líder Palmeiras, que tem 34. A equipe do Alto da Glória tem 16 e continua em 16º, primeira posição fora da zona do rebaixamento.

O Atlético-MG só volta a jogar pelo Nacional no dia 12, contra o Palmeiras, pela 18ª rodada. A partida da 17ª, contra o Internacional, foi adiada para 2 de setembro, pois o Colorado disputa a Copa Suruga, no Japão. O Coritiba recebe o Santos, na quarta-feira, no Couto Pereira.

Confira a classificação atualizada do Brasileirão

Não dá nem para respirar

“Vamos marcar muito!”. A frase foi dita pelos jogadores do Coritiba ainda no túnel que leva ao gramado do Mineirão. Mas o que se viu nos minutos iniciais do jogo foi um time mais ofensivo que os donos da casa. De volta ao Coxa após cumprir suspensão, Marcelinho Paraíba logo mostrou que faz a diferença. Aos três, ele achou Jaílton livre de marcação do lado esquerdo, o volante invadiu a área, mas foi travado por Aranha na hora do arremate. O goleirão foi testado novamente, aos seis, em chute de longe de Marcos Aurélio, mas conseguiu espalmar.

Com Carlos Alberto de volta à lateral direita, e Evandro no lugar de Júnior, o Galo demorou um pouquinho para se organizar no campo, mas quando chegou…que perigo. Aos 11, Diego Tardelli cruzou, Eder Luis escorou para Carlos Alberto chutar, a bola desviou na zaga, e Michel Bastos defendeu. No rebote, Thiago Feltri bateu cruzado e acertou a trave. Na volta, Evandro cabeceou, mas a zaga coxa-branca afastou na base do chutão. E não houve sorte que ajudasse o Coxa no lance seguinte, aos 14. Evandro cobrou falta para a área, e Jonílson, completamente livre, cabeceou para o chão e mandou para a rede.

A blitz atleticana não parou por aí. Só um minuto depois, novo gol de cabeça. Thiago Feltri recebeu na área, parou a bola, cruzou com toda calma do mundo, e achou Tardelli na pequena área para fazer o segundo. Nono do goleador, agora jogador da seleção brasileira, no Brasileirão. Ele divide a artilharia com Val Baiano, do Barueri. Comemoração tradicional com direito a “tiros” do matador.

O time de René Simões tirou força da desvantagem e foi para cima. E qual seria a melhor arma para tentar surpreender o adversário? A bola aérea passou de veneno a antídoto. Na cobrança de escanteio de Marcelinho Paraíba, o zagueiro Demerson nem precisou subir muito para cabecear. A bola ainda desviou de leve na defesa atleticana e tirou a chance de Aranha defender: 2 a 1. O time do Alto da Glória cresceu e passou a investir nos chutes de fora da área.

Intimidado, o Atlético deu um tempo nos ataques e só voltou a levar perigo aos 29. Carlos Alberto ficou livre na ponta direita, chutou forte, e Edson Bastos espalmou meio sem jeito. Aí o jogo ficou lá e cá, em ritmo alucinante. O empate do Coxa só não saiu porque Aranha vive grande fase. Marcos Aurélio foi lançado na área, chutou de primeira, colocado, e o camisa 36 foi buscar com um tapa de mão esquerda. O lance, aos 37, foi o último a arrancar suspiros na etapa inicial.

Coxa dá trabalho, mas Renan Oliveira decide

A pressão que se esperava por parte do Coritiba não aconteceu no início do segundo tempo. O Atlético tomou a iniciativa e tentou liquidar o jogo de imediato. O relógio nem marcava um minuto, e Júnior, que entrou no lugar de Evandro, bateu falta em diagonal, a bola desviou na zaga paranaense e por pouco não balançou a rede. Aos sete, o meia tentou mais uma vez de longe, desta vez com a bola rolando, mas Edson Bastos afastou o perigo.

Depois de descansar durante todo o primeiro tempo no banco de reservas, o camisa 6 se apresentou cheio de disposição. Numa bela jogada pela direita, o canhoto usou o pé que não é bom para achar Welton Felipe livre na área. O zagueirão bateu no melhor estilo atacante, de primeira, mas Edson Bastos defendeu novamente. A dupla voltou a funcionar aos 21. Welton Felipe foi lançado por Júnior, ficou na cara do gol coxa-branca, mas chutou nas mãos de Bastos. O próximo a perder uma boa chance seria Marcos Aurélio, até então sumido no segundo tempo da partida. Aos 25, ele ficou livre na entrada da área, tentou encobrir Aranha, só que chutou forte de mais e mandou o empate para fora.

Inspirado, Júnior servia um companheiro de cada vez na tentativa de ajudar o time a ampliar. O próximo do "rodízio" foi Thiago Feltri, aos 30. Ele recebeu passe preciso do capitão, bateu de esquerda, mas Edson Bastos também estava em ótima noite.

Aos 36, o Atlético acabou punido pelo caminhão de gols perdidos. Leozinho recebeu na esquerda, invadiu a área e bateu na saída do goleiro Aranha: 2 a 2. O empate calou o Mineirão e fez o técnico Celso Roth mexer no time de forma emergencial. O garoto Renan Oliveira, que andava sumido depois de se recuperar de uma grave lesão no joelho direito, foi chamado para a vaga de Eder Luis. Aos 41, a estrela do meia brilhou. Ele recebeu passe de Wellinton Saci na marca do pênalti, girou bonito e bateu forte, no canto: 3 a 2. Desta vez Edson Bastos não fez milagre.
 

 

globoesporte.com

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…

Campinense anuncia Ranielle Ribeiro como novo técnico

O Campinense já tem novo treinador. Menos de 24h após demitir o treinador Ederson Araújo, a Raposa anunciou a contratação d Ranielle Ribeiro, de 41 anos, para comandar a equipe…