Por pbagora.com.br

A participação de Nicolas Oliveira no Mundial de Esportes Aquáticos foi recheada de surpresas até mesmo para o próprio nadador. O mineiro conseguiu se classificar para final de uma prova que não é sua especialidade, os 100m livre, e ainda, de bônus, ganhou uma vaga para disputar as eliminatórias do 4x100m medley, neste domingo. A missão de Nicolas, porém, não foi fácil. Ele teve de substituir o campeão dos 50 e 100m livre César Cielo.

 

– É pesado. Eu estava com um pouco de medo. Mas fiquei feliz. Não vi meu tempo ainda, mas, só de ter brigado cabeça por cabeça com a Austrália, já boi bom – contou Nicolas, logo depois da prova.

Nicolas deu conta do recado e, ao lado de Guilherme Guido, Henrique Barbosa e Gabriel Mangabeira, conquistou uma vaga na final com o quinto melhor tempo das eliminatórias (3m30s25). O desempenho foi ainda mais relevante levando em consideração que o mineiro só ficou sabendo que disputaria a prova na véspera.
– Na sexta-feira, eles avisaram para todos os nadadores ficarem espertos porque eles não sabiam como iria ser o 4x100m medley. Ontem (sábado) à noite, me avisaram que eu iria nadar mesmo. Mas eu estava treinando, estava querendo muito nadar esse revezamento – explicou o nadador, que não imaginava ter essa chance antes da competição.

Ainda cansado da final dos 50m livre, prova na qual conquistou seu segundo ouro, César Cielo foi poupado na manhã deste domingo. Nicolas, entretanto, garante que na final ele já estará 100%.

– Ele está bem demais. Pedreira vai ser para quem estiver nadando do lado dele. Vai ser complicado. O cara está num nível acima de todo mundo nesta competição. Está difícil de parar o cara.

globoesporte.com