A Paraíba o tempo todo  |

Micale escolhe 4-2-4 para resolver problema de gols da seleção

 Para resolver o problema de gols da seleção olímpica, o técnico Rogério Micale optou por colocar todos os atacantes disponíveis em campo desde o início. Contra a Dinamarca, o Brasil terá na linha de frente Neymar, Gabriel Jesus, Gabriel e Luan. O gremista é a novidade do time e entrará no lugar de Felipe Anderson na equipe titular – Walace substitui o suspenso Thiago Maia no meio-campo. Entretanto, a alteração, embora ofensiva, gera algumas dúvidas para a partida.

O 4-2-4 foi a principal alternativa testada por Micale ao longo da preparação na Granja Comary. Entretanto, quando foi utilizado nos jogos, não funcionou. Tanto contra o Japão como diante do Iraque, o treinador desistiu da ideia em menos de 10 minutos. Nas duas ocasiões, a seleção teve inferioridade no meio-campo e sofreu com os contra-ataques.

– Temos um modelo de jogo com variações, é normal fazer, já aconteceu em dois jogos. Tentamos variações, mas não podemos mudar conceitos sem treinamentos. Ele existe, treinamos em nossa preparação e não é porque não conseguimos a vitória que vamos mudar tudo, em termos de conceito. Isso traria mais prejuízos do que benefícios à equipe. O conceito traz o resultado. Se abrir mão dele, abre mão de uma forma de jogar. Se entrar de uma forma aleatória em campo, a probabilidade é maior da coisa não acontecer – explicou o treinador.

Neste esquema, Luan é o responsável por recuar mais. Ele circula para dar opções aos meio-campistas e iniciar os ataques. Defensivamente, é responsável por dar combate ao volante adversário. Para que o esquema funcione, porém, é preciso que o gremista não seja o único a se esforçar defensivamente: os outros três atacantes também devem ajudar na marcação, sob o risco de a equipe ficar exposta demais.

– Sem a bola, a gente precisa recuar um para encostar no volante. É preciso bastante diálogo e conversa, para não errarmos muitas vezes na marcação – avaliou Rodrigo Caio, ainda durante a preparação na Granja Comary.

No treino de terça-feira, no estádio Pituaçu, o último antes de enfrentar a Dinamarca, Micale testou Luan na equipe no lugar de Felipe Anderson. Também observou Rodrigo Dourado e Walace no meio, e optou pelo baiano. A mudança, porém, deixa o setor menos dinâmico: Renato Augusto não tem a mesma mobilidade de Felipe Anderson, embora seja um jogador com melhor leitura tática.

Outra preocupação é a falta de opções no banco de reservas. Com Luan em campo, Micale terá apeneas duas alternativas ofensivas, ambas para o meio-campo: Felipe Anderson e Rafinha. O jogador do Lazio também pode atuar pelos lados, enquanto o atleta do Barcelona, longe da melhor condição física, daria mais cadência na construção das jogadas.

Globo.com

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe