No início de todas as incertezas trazidas pelo coronavírus, uma coisa parece ser unânime, entre os dirigentes dos times de futebol paraibano, que jogar de portões fechados não tem sentido. Segundo depoimentos a mídia de alguns dirigentes o espetáculo só é verdadeiramente espetáculo com torcida na arquibancada. Ainda mais em jogos decisivos de mata-mata. O jogo é diferente dentro de campo, refletindo aquilo que está fora de campo, como as vibrações, o incentivo, as pressões que vêm das torcidas, diz um dirigente da Raposa.

Acontece que o cenário é outro. O mundo do futebol está parado, em ajuda ao controle e ao combate ao coronavírus. Os campeonatos estão paralisados e o calendário vai ficando cada vez menor. O Coronavírus assusta e já adia diversos eventos pelo Brasil e pelo Mundo. Mas e os principais campeonatos estaduais que correm por aqui nos próximos dias? Sofrem alguma mudança – como adiar jogos ou disputar as partidas com portões fechados? Essa é a dúvida vigente na cabeça dos dirigentes dos times da Paraíba.

Para o presidente do Campinense, Paulo Gervany, ele se disse contrario a possibilidade de jogos com portões fechados. “Devemos esperar uma definição em relação às autoridades de saúde sobre a liberação de eventos que tenham aglomerações, aí sim, quando forem liberados, retornar o espetáculo completo, com a presença da torcida. Sou contra partidas sem o público”, comentou.

Assim também pensa o presidente do Nacional, Cleodon Bezerra, onde enfatiza que jogar de portões fechados é impossível para o clube de Patos. “Primeiramente temos que receber o que as entidades nos devem e, a partir daí, jogar de portões abertos para ter receita ou não será possível retornar ao Campeonato”, pontuou.

“A questão dos portões fechados é complicada, por conta de que a receita das rendas dos jogos ser a única que temos com a venda de ingresso. Por outro lado, a gente sabe que para concluir este campeonato, só se for de portões fechados mesmo, porque se for esperar pelo fim da pandemia é coisa para julho ou agosto”, disse o diretor do Atlético de Cajazeiras.

“O nosso elenco está em férias até o início de maio (2). Ainda temos muita incerteza do avanço ou recuo desse vírus. Seria mais prudente aguardarmos os acontecimentos e avaliarmos até maio e, dependendo, começariamos em junho. Ainda que fosse de portões fechados”, comentou o presidente do Botafogo, Sérgio Meira, defendendo que o Campeonato Paraibano deveria recomeçar em junho, e não em maio.

 

Redação

Deixe seu Comentário