Por pbagora.com.br

Paixão. Essa palavra pode definir o sentimento que vai mover o torcedor. Um estádio silencioso. Sem a presença da torcida como 12 jogador para incentivar a sua equipe. Em casa, diante da TV, milhares de corações batendo forte. Olhos fixos para cada lance. Ansiedade em cada jogada. Nervos a flor da pele. Tarde para roer as unhas. Para xingar o atacante pelo gol perdido, ou o zagueiro pela falha que proporcionou boa oportunidade para o adversário.

Diante da tela, o torcedor também deve vibrar com o ataque de seu time, com a boa jogada, as investidas pelas laterais e as chances reais de gol. E na magia do futebol, extravasar com o grito de gol, quando as redes adversárias foram balançadas É jogo de time grande. É clássico. É decisão.

O velho Colosso da Borborema será palco de um jogo que promete ser eletrizante, com muitos números, rivalidade e muita emoção. Um duelo épico que pode entrar para a história por acirrar ainda mais a rivalidade das duas maiores torcidas da Paraíba.
Em campo, estarão as duas maiores rivalidades do Campeonato Paraibano, e  36 títulos estaduais, sendo 21 conquistados pela Raposa contra 15 pelo Galo. Após 12 anos, o Clássico dos Maiorais será protagonista da final do Paraibano.

Esta será a 11ª vez que Raposa e Galo decidem o título em decisões gerais do campeonato. O Clássico dos Maiorais que abre a final da atual edição do Paraibano será nesta quarta-feira, às 16h no Estádio O Amigão em Campina Grande, e deve seguir todos os protocolos de segurança para evitar o contágio do Covid-19.  O jogo de volta será no sábado, no mesmo horário. Após os 180 minutos, um deles, vai levantar a taça de campeão.
Pela primeira vez na história, as duas equipes detentoras das maiores torcidas no Estado, vão decidir o Estadual com o estádio vazio e sem a presença do torcedor nas arquibancadas.

O jogo 411 da história entre Rubro-negro e Alvinegro promete acirrar ainda mais a rivalidade e testar os nervos e o coração das duas maiores torcidas do Estado. O Campinense foi campeão em cima do Treze oito vezes em 1961, 1962, 1963, 1964, 1973, 1974, 2004 e 2008. Já o Treze venceu os estaduais de 1982 e 1983 em cima da Raposa.

Campinense e Treze fazem sempre um jogo equilibrado e marcado por uma rivalidade que atravessa décadas. As duas equipes se enfrentaram duas vezes este ano.

O primeiro confronto de 2020 , aconteceu na 5º rodada do Campeonato e terminou empatado em 1 x 1. No segundo duelo, na última rodada, o Treze venceu o rival por 1 x 0 e garantiu a vaga na grande final. Para disputar o título da 110ª edição do Paraibano, o Galo eliminou o Botafogo na semifinal  enquanto que a Raposa eliminou o Sousa. Os dois conquistaram a vaga nos pênaltis.

As estatísticas – Galo e Raposa sempre fazem um duelo acirrado, duro e com emoções. Dos 410 confrontos, o Treze venceu 141 vezes, contra 109 do Campinense. O Clássico dos Maiorais já terminou empatado 162 vezes. Na artilharia dos Maiorais, a vantagem também é trezeana: até agora, são 501 gols a favor do Alvinegro, contra 451 para o Rubro-Negro.

A rivalidade entre Campinense e Treze pode ser medida em jogos válidos pelo Campeonato Paraibano. Até o momento, os dois clubes se enfrentaram 231 vezes no Estadual. A vantagem também é do Treze. Ao todo, o Galo venceu 75 partidas, contra 71 triunfos da Raposa.

O equilíbrio de Campinense e Treze no Paraibano, se mede no número de empates. Os dois terminaram a partida em igualdade no placar 98 vezes. O Galo marcou 257 gols contra 242 da Raposa.
Um jogo dessa magnitude precisa de um árbitro de pulso para controlar o ímpeto dos jogadores e a pressão dos treinadores. A primeira final do Campeonato Paraibano,vai ter árbitro à parte do quadro da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol da Paraíba (Ceaf-PB). Anderson Daronco, da Fifa, é quem comanda os primeiros 90 minutos da decisão do estadual.Junto ao gaúcho, Oberto Santos e Luís Filipe Gonçalves completam o trio de arbitragem.

Para o terceiro duelo do ano, e primeiro da final, o Campinense não deve ter algumas novidades. O técnico Nei Júnior que assumiu recentemente o comando da Raposa, promete um time ofensivo. O time rubro-negro vai entrar em campo com com as ausências ficam do goleiro Rodrigo Dias e do zagueiro Uesles, entregues ao departamento médico. Por outro lado, o polivalente Vinícius Araújo e o meia Wagner Querino voltam a ficar à disposição do treinador Nei Júnior para a partida.
A expectativa fica por conta do atacante Fábio Junior que já foi campeão vestindo a camisa da Raposa em cima do Galo, e deve estar em campo. O meia Bismarck, principal contratação da Raposa para a sequência da temporada, é outra arma do treinador para furar o bloqueio alvinegro.

No Treze, é só confiança. O Galo vive seu melhor momento na temporada. O time vem de uma vitória por 2 a 0 sobre o atual tricampeão do estado, o Botafogo-PB, resultado que não acontecia desde 2015. Finalista após toda a dramaticidade de um Clássico Tradição nas semifinais, o Galo da Borborema vai em busca do título, mas, sobretudo, de quebrar um jejum que já dura nove anos.

O  técnico Moacir Júnior terá todos os jogadores à disposição para a decisão do estadual. As maiores dúvidas ficam no ataque. Ceará e Ermínio entraram no jogo contra o Botafogo-PB e deram conta do recado. O segundo, inclusive, marcou para o Galo.

O Campinense deve começar o duelo com Wellington Lima, Alex Travassos, Alex Maranhão, Breno e Matheus Camargo; Pêu, Elielton, Allefe e Vinícius Araújo; Rafael Ibiapino e Reinaldo Alagoano. Técnico: Nei Júnior.
Já o Treze vai a campo com Jeferson, Léo Pereira, Breno Calixto, Nilson Júnior e Gilmar; Vinícius Barba, Rezende, Alexandre Santana e Douglas Lima; Tales e Frontini. Técnico – Moacir Júnior

Após os dois confrontos ou  Campinense conquistará a 21ª taça de campeão estadual,ou o Treze será campeão paraibano pela 16ª vez. Apenas um vai sorrir. O outro vai chorar.
O campeão garante vaga direta na fase de grupo da Copa do Nordeste 2021. Por chegarem a final do Estadual, os dois Maiorais serão os representantes da Paraíba na Copa do Brasil.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mais três jogadores do Atlético de Cajazeiras testam positivo para covid-19

Três atletas do Atlético de Cajazeiras testaram positivo para a Covid-19 e não poderão jogar a partida contra o Salgueiro (PE) marcada para este sábado (26) às 19h, no estádio…