Atacante da seleção brasileira durante a última Copa do Mundo, Hulk denunciou ter sido vítima de racismo em uma partida de seu time, o Zenit, contra o Spartak Moscou, válida pelo Campeonato Russo no último sábado (27).

Em entrevista ao jornal “Sport Express”, ele afirmou:

— No primeiro tempo ouvi imitações de macaco que não vinham de um grupo isolado, mas sim de um grande número de pessoas. Isso se repetiu na saída para o intervalo

O Zenit decidiu levar o caso ao Comitê Disciplinar Local, cujo presidente, Arthur Grigor, admite ter imagens da agressão a Hulk. Caso seja condenado, o Spartak terá que atuar com portões fechados.

Hulk comentou:

— É uma afronta pessoal e um insulto ao Zenit. São coisas inaceitáveis e as autoridades do futebol precisam ser consistentes na punição

Este não é o primeiro caso de racismo na atual edição do Campeonato Russo. No domingo (28), o Torpedo Moscou foi condenado a jogar sem torcida por conta de ofensas ao zagueiro congolês Christopher Samba, do Dínamo Moscou. Ele se recusou a voltar para o segundo tempo, mas também acabou suspenso por duas partidas por ter respondido aos atos com gestos obscenos.

 

R7

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Presidente do Campinense promete time forte para 2020

Oficialmente eleito presidente do Campinense, Paulo Gervany predente montar um time forte para a temporada 2020. Candidato único ao cargo máximo do clube, o dirigente precisou apenas de um pleito…