Por pbagora.com.br

GDF assina consórcio para obras no Mané Garrincha e faz campanha para Brasília receber abertura da Copa 2014

Autoridades de diferentes esferas estiveram, nesta terça-feira (27/7), na cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental das obras de reforma, modernização e ampliação do estádio Mané Garrincha, que passará de 42 mil para cerca de 71 mil lugares. Durante o evento, o governador do Distrito Federal, Rogério Rosso, assegurou, na frente do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que a capital federal terá totais condições de sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014.

Além do pontapé inicial das obras, foi anunciado que, pelo menos, cinquenta dos mil trabalhadores contratados serão ex-presidiários, presos em regime semi-aberto ou temporários. Segundo o corregedor nacional de Justiça, Gilson Dipp, essa é uma oportunidade de dar uma segunca chance àqueles que erraram.

"Esse projeto representa a reinclusão do egresso do sistema penitenciário. Aqui no Distrito Federal foi dado o primeiro passo desse grande acordo que permitirá a ressocialização para que essas pessoas, que cometeram um erro no passado, não voltem a delinquir. É uma oportunidade de acabar com o preconceito que essa população sempre sofreu", disse Dipp

Segundo o governador, o palco brasiliense da Copa 2014, orçado em quase R$ 700 milhões, foi projetado para abrigar outros tipos de eventos e não só futebol. Assim, o novo estádio não vai se tornar um ‘elefante branco’.

"O estádio foi projetado para ser uma arena multi-uso. Por isso, teremos eventos internacionais ao longo de todo ano", afirmou Rosso.

Em relação à polêmica do novo nome do estádio – que deixaria de se chamar Mané Garrincha para virar Estádio Nacional de Brasília – Rosso colocou um ponto final no assunto.

"Seria uma ofensa tirar Mané Garrincha do nome. Por isso, se chamará Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha", garantiu o governador da capital.

Brasilia pode sediar a abertura, diz Rosso

Ao discursar no evento em que foi assinada a ordem de serviço, Rosso destacou as qualidades da candidatura de Brasília para sediar a abertura. Além da capital federal, Belo Horizonte e São Paulo também são candidatas a receber a partida inicial do mundial .

“Não vou pedir para não constranger, mas está claro que este ato serve para deixar Brasília apta como sede da abertura da Copa do Mundo”, afirmou. “Poucas cidades do mundo tem condições de hospedar atletas, turistas, jornalistas, autoridades a 300 metros do estádio. Em poucas cidades também se vai do aeroporto ao estádio, ao setor hoteleiro em dez minutos. Isso é o que nos habilita a pleitear não só ser cidade-sede, mas abrir com honra a Copa e termos um centro de convenções logo ali para centro de mídia”, completou Rosso.

Questionado por três vezes sobre a candidatura de Brasília para a abertura da Copa, Teixeira não se posicionou e sequer deu prazo para a decisão. “Isso vai ser decidido pela Fifa junto com o comitê organizador e ainda não tem prazo determinado”, destacou.

Com a ordem de serviço assinada pelo governador, as empreiteiras contratadas deverão, nos próximos dias, começar a reforma no estádio, que se tornará num "canteiro de obras". Atualmente, só foi feita a demolição das arquibancadas.

São Paulo

Ricardo Teixeira se recusou a comentar o problema de São Paulo, onde, desde que o Morumbi foi vetado, não há definição sobre qual estádio receberá jogos da Copa 2014.

"Eu vou falar de Brasília", repetiu inúmeras vezes o chefe da maior entidade do futebol nacional.

Correio Braziliense

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…