Por pbagora.com.br

Pela quarta temporada consecutiva, o Florianópolis está na final da Superliga Masculina. Neste domingo, o atual campeão da competição venceu o Brasil Vôlei Clube por 3 sets a 0, com parciais de 25/20, 25/23 e 25/22, e fechou a série semifinal em 2 a 1. Agora, a equipe catarinense aguarda na decisão do próximo domingo, às 9h30m, no Maracanãzinho (Rio de Janeiro), o vencedor do duelo entre Minas e Cruzeiro.

No confronto inicial entre as equipes, deu Cruzeiro. Em Itabira, o time da casa ganhou do tradicional Minas por 3 sets a 0. Na segunda partida, a equipe da capital deu o troco. Depois de estar perdendo por 2 sets a 0, o Minas, equipe com mais títulos da história do campeonato, reverteu o marcador e ganhou no tie-break. O terceiro e decisivo duelo será nesta segunda-feira, às 18h, em Belo Horizonte, com transmissão ao vivo do SporTV.

 

Série decidida apenas no último confronto

 

Primeiro finalista da Superliga Masculina, o Florianópolis teve dificuldades para fechar a série semifinal contra o Brasil Vôlei Clube. No primeiro duelo, a equipe catarinense venceu por 3 sets a 0. No segundo, o Brasil Vôlei deu o troco ao ganhar por 3 sets a 1 e empatou o duelo. No encontro decisivo, diante da sua torcida, o Florianópolis cresceu e alcançou a vitória que lhe garantiu sua quarta final na competição.

 

– Nós sabíamos que o jogo seria difícil, mas isso (o campeonato) não poderia acabar neste domingo. Chegou na final o time que merecia – desabafou o levantador Bruninho, medalhista de prata nas Olimpíadas de Pequim.

 

Mesmo diante da sua empolgada torcida, situação vantajosa para a equipe, o Florianópolis sentiu a responsabilidade logo no início do jogo. O Brasil Vôlei Clube se aproveitou do momento, e o time da casa precisou correr atrás no placar. No entanto, quando o marcador apontava 9 a 8, um acidente desenhou a história da partida. O ponteiro e capitão do Brasil Vôlei, Filipe, sofreu uma torção no tornozelo esquerdo e o seu enfraqueceu o elenco, que cedeu a vitória em 25 a 20.

– A ausência do Filipe prejudicou bastante. Nós perdemos o referencial. Tivemos que entrar com reservas em funções que nunca tinham feito. Foi um risco. Infelizmente, perdemos esse jogador, mas isso faz parte do jogo. Agora é buscar a medalha de bronze – analisou o técnico Rubinho, referindo-se à partida de quinta-feira, quando enfrenta o perdedor de Minas e Cruzeiro.

 

Ponto forte do Florianópolis, o meio-de-rede exerceu ótimo desempenho no segundo set. Além da muralha que exibiram para inibir o rival, Éder e Lucão comandaram o ataque da equipe e abriram vantagem no marcador. Cinco pontos afastavam os times no placar. E o Brasil Vôlei não se deu por vencido e foi buscar o empate. Bob foi fundamental para a reação. Em uma série de saques, conseguiu colocar sua equipe mais viva no jogo. No entanto, o ‘paredão’ Éder pôs um ponto final na parcial: 25 a 23.

 

O Florianópolis não teve dificuldades para dominar o terceiro set. O Brasil Vôlei apostou todas as suas forças nos ataques do oposto Bob. No entanto, a equipe catarinense tinha um volume de jogo maior e conseguiu parar o atacante adversário no bloqueio três vezes até a segunda parada técnica, quando a vantagem dos anfitriões era de seis pontos. O time paulista ainda reagiu e diminui a diferença. Mas, no ataque pela ponta de Thiago Alves selou o triunfo do Florianópolis ao marcar 25/22.

 

globoesporte.com

Notícias relacionadas

Palmeiras escala reservas e empata com o Vasco em jogo atrasado

Em duelo atrasado da primeira rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras, jogando no Allianz Parque, ficou no empate por 1 a 1 contra o Vasco nesta terça-feira. A equipe alviverde…