A Paraíba o tempo todo  |

Flamengo vence o Barcelona e fará final contra o Palmeiras

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

No embalo de Bruno Henrique & Cia, o Flamengo segue fazendo história e vai decidir a Libertadores contra o Palmeiras. Nesta quarta-feira, o time de Renato Gaúcho venceu o Barcelona (EQU) no Estádio Monumental, repetindo o placar do jogo de ida, no Maracanã: 2 a 0, novamente com dois gols do camisa 27. A equipe, agora, tentará conquistar a América pela segunda vez em três anos.

O rival do Flamengo na final da Libertadores será o Palmeiras, que superou o Atlético-MG após empates em 0 a 0, em São Paulo, e 1 a 1, em Belo Horizonte. A decisão será no Estádio Centenário, em Montevidéu, no dia 27 de novembro.

A escalação ideal do Flamengo – formada por 11 jogadores com passagens por seleções – ficou em campo apenas por oito minutos. David Luiz, com dores na perna esquerda, foi substituído por Gustavo Henrique. O jogo, contudo, estava à feição do Rubro-Negro. O Barcelona, empurrado pela torcida e precisando de, ao menos, dois gols, partiu para cima, assim como havia feito no Maracanã.

A primeira finalização foi de Mastriani, mas Diego Alves defendeu. O camisa 1, inclusive, foi um “capítulo” à parte nesta semifinal. O jogo seguiu muito pegado, com cada bola disputada na intermediária. Quando o Flamengo rodou a bola, quebrou a marcação do Barcelona e chegou ao gol. E que golaço. A tabelinha com Arão deixou Everton Ribeiro de frente para o ataque e com várias opções.

A escolha por Bruno Henrique foi precisa – assim como o drible do atacante em Burrai. Com o gol livre, o decisivo camisa 27 fez o seu terceiro gol no confronto.

O gol foi um balde de água fria para as pretensões do Barcelona, que passou a precisar de quatro gols para ir à terceira final da Libertadores de sua história. O jogo, contudo, seguiu franco, com boas chances lado a lado. Tanto que, assim como no Maracanã, Diego Alves foi exigido e correspondeu muito bem. Foram cinco defesas antes do intervalo, que garantiram a vantagem do Rubro-Negro.

‘Repeteco’ do Flamengo em Guayaquil

O time de Fabián Bustos, na volta do intervalo, foi para o “tudo ou nada”, repetindo a pressão na saída de bola. O castigo foi o mesmo do primeiro tempo. Troca de passes rápidos do Flamengo até a enfiada de Gabigol para Everton Ribeiro. E, no melhor estilo “faz e me abraça”, o capitão tocou para Bruno Henrique fazer o segundo gol no Monumental – o quarto na semifinal.

O 2 a 0 pôs fim às esperanças do time mandante, mas o Barcelona honrou a presença dos torcedores no Monumental. Buscou o gol de honra até o fim e, tirando um lance ou outro, não apelou para a violência. A torcida – que voltou às arquibancadas após mais de 18 meses – reconheceu a entrega e a boa campanha da equipe na Copa Libertadores e aplaudiu o time ao fim do jogo.

Terra

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe