Após duas vitórias na Taça Rio, o Flamengo não foi bem em sua terceira partida e ficou no empate por 1 a 1 diante do Tigres, lanterna do Campeonato Carioca. A equipe de Xerém chegou a abrir o placar através de Leandro Chaves, aproveitando falha de Bruno, e Josiel, de cabeça, deixou tudo igual no placar do Maracanã.

A defesa do Tigres, que, antes de a bola rolar, já havia sofrido 21 gols se agigantou diante do Rubro-Negro, que, muito lento, não conseguiu vencer um adversário que foi goleado por Vasco e Fluminense (4 a 0 nas duas partidas) e também perdeu para o Botafogo (3 a 2). Usando como única arma o "chuveirinho", o Fla até que conseguiu empatar, mas não foi o suficiente para garantir mais três pontos.

O Flamengo assumiu o primeiro lugar do Grupo B ao chegar aos 7 pontos, mas o Boavista enfrenta o Vasco neste domingo, em Saquarema, e ainda pode ultrapassá-lo na rodada. Os rubro-negros voltam a campo pelo Carioca no próximo fim de semana para o clássico contra o Vasco. Já o Tigres, com apenas um ponto agora na Taça Rio, segue na última colocação geral do Carioca, mas em quinto lugar no Grupo A do returno, e pega o Boavista no sábado que vem.

 

Fla é surpreendido, mas empata em ritmo lento

 

Logo de início, o script parecia o mesmo dos jogos de times grandes contra os pequenos: o Flamengo atacava e o Tigres fazia o possível para se defender. Tanto que, logo aos cinco minutos, Juan foi derrubado na área e o pênalti foi marcado. Leo Moura foi o responsável pela cobrança e mandou a bola na arquibancada do Maracanã.

No entanto, a chance desperdiçada não foi bem assimilada pela equipe rubro-negra, que até teve uma oportunidade aos sete em lançamento de Kleberson para Josiel isolar também. Mas, depois disso, a defesa do Tigres rugiu para cima do Flamengo, que não conseguia ultrapassar a defesa do lanterna do Carioca.

Na metade do primeiro tempo, começou a chover e se o ritmo do jogo era lento, o do Flamengo parecia ainda mais vagaroso. E diante de tanta morosidade, o despretensioso Tigres conseguiu abrir o placar, aos 26, com um chute de longe de Clayton que Bruno não segurou e permitiu o rebote mortal de Leandro Chaves.

Nem a falha do goleiro e a necessidade de virar o placar pareciam mover o time do Fla, que seguia perdendo ‘tranquilamente’. Tanto que só dez minutos após o gol do Tigres que o Rubro-Negro voltou a ameaçar a meta do adversário. Numa saída errada do goleiro Marcos Paulo, Kleberson pegou a sobra e lançou Josiel, que chutou à direita.

O empate só viria mesmo graças à bola parada. Aos 39 minutos, Juan cobrou escanteio pela esquerda e Josiel cabeceou firme para o fundo da rede: 1 x 1 no placar, mas atuação nada convincente. Nos descontos, após tabela com Juan, Zé Roberto apareceu pela esquerda da grande área, mas sua finalização foi para fora.

 

Pouca inspiração e oportunidades desperdiçadas

 

A lentidão rubro-negra se manteve no segundo tempo, mas o Tigres até que se arriscou mais ao ataque. Aos seis minutos, Denis arriscou de fora da área e Bruno defendeu a bomba. Numa das raras boas tramas de ataque do Flamengo, aos sete, Aírton lançou Kleberson pela esquerda, que cruzou na medida para Everton Silva bater de primeira nas mãos do goleiro.

Com um time demonstrando pouca vontade, Cuca começou a mexer no time apenas aos 18 minutos colocando Obina, que quase foi barrado até do banco por problemas de peso, no lugar de Everton Silva. E quem quase fez o gol foi o Tigres em outro chute de longe, desta vez de Leon, que Bruno espalmou para fora.

A torcida do Flamengo já havia perdido a paciência e o time continuava a não corresponder às expectativas em campo. A bola levantada na área parecia ser a única arma rubro-negra a esta altura, mas a zaga do Tigres estava se virando bem no segundo tempo. Aos 30, a bola acabou sobrando para Zé Roberto após escanteio cobrado por Juan. O meia bateu cruzado, mas sem direção.

 

Aos 33, Josiel, pouco antes de deixar o campo, ainda teve mais uma chance na grande área, arriscando um voleio por cima da meta. No finzinho, a melhor chance de chegar à vitória para o Fla aconteceu aos 44 com Maxi cara a cara com o goleiro Marcos Paulo, que conseguiu uma grande defesa e garantiu o empate para o Tigres.

 

 

globoesporte.com

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário