Se no futebol a situação financeira piora a cada dia, no basquete o Flamengo busca soluções para pagar os salários atrasados. A principal delas é ganhar um patrocínio. Conforme matéria publicada nesta segunda-feira no jornal "O Globo", o presidente da Loterj, Sérgio Ricardo de Almeida, confirmou o interesse em se tornar parceiro do clube, campeão sul-americano.

 

– A ideia surgiu quando o governador Sérgio Cabral recepcionou o time, depois do título sul-americano. Pode ter patrocínio. Podemos comprar direitos de alguns jogos, pôr placas nos ginásios ou levar às partidas os ganhadores da raspadinha, para vincular esse jogo com o time, que é a cara do Rio e do Brasil.

 

O Flamengo confirma que trabalha também em outras frentes. O vice de Esportes Olímpicos, João Henrique Areias, comemora a venda de metade das camisas para ajudar o basquete nas lojas e através do site www.flabasquete. Fora isso, negocia com a prefeitura de Londrina a realização do jogo contra o Assis, pelo Brasileiro – que pagaria as despesas do clube, de cerca de R$ 70 mil.

 

Areias disse ainda que outras prefeituras, do interior do Estado do Rio, estão negociando com o clube.

 

– Já pagamos três dos quatro meses atrasados, mas ainda faltam R$ 500 mil, sendo do mês de fevereiro e dos prêmios dos títulos Estadual, Brasileiro e Sul-Americano – lembra o dirigente
 

 

globoesporte.com

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário