A Paraíba o tempo todo  |

Escalação em La Paz vai depender do condicionamento dos atletas

O assunto é antigo, mas o temor é o mesmo. A altitude de mais de 3.500 metros de altura de La Paz assusta os jogadores e a comissão técnica da seleção brasileira. A preocupação é tanta que a escalação para o jogo do próximo domingo, contra a Bolívia, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, só vai ser decidida após um análise do condicionamento dos 23 convocados pelo técnico Dunga. Existe até a possibilidade de nem todos os atletas seguirem para o local.

 

– A gente vai começar a conversar. A altitude dificulta para as duas equipes. Temos que entrar com a nossa forma de jogar. Temos que montar uma equipe com aqueles que estiverem bem, mesclando a experiência com a qualidade técnica – analisou o treinador.

 

O médico José Luís Runco voltou a reiterar o seu pedido à Fifa para acabar com os jogos em países com altitude superior a 2.600 metros. Sem ter como mudar tal situação de forma imediata, o profissional afirmou que vai manter a preparação dos últimos anos para o confronto em La Paz.

 

– Vamos manter a rotina de chegar próximo ao horário do jogo. É a terceira eliminatória disputada, a terceira em La Paz. Se algum atleta demonstrar que não está bem fisicamente, vamos informar à comissão técnica. A recomendação é alimentação leve, com frutas, carboidratos. A nossa posição em relação aos jogos na altitude não muda e espero que a Fifa mude isso. Não é aconselhável a prática de esporte na altitude e corremos um risco de ter o comprometimento de algum ser humano – disse o médico.

 

O lateral-esquerdo André Santos nunca participou de uma partida na altitude. Para o jogador, o time brasileiro vai precisar superar os mais de 3.500 metros de altura e a seleção boliviana.

 

– Temos dois adversários: a Bolívia e a altitude. Nunca atuei em países mais altos, mas sempre assisti pela televisão. O segredo é se adaptar o mais rápido possível para fazer um ótimo jogo – disse André Santos.

G1

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe