Com um golaço de Borges, de bicicleta, aos 47 minutos do segundo tempo, o São Paulo empatou por 1 a 1 diante do Independiente Medellín e escapou de um vexame nesta quarta-feira, no Morumbi, na primeira rodada do Grupo 4 da Libertadores. É verdade que o goleiro paraguaio Bobadilla foi o melhor em campo e se transformou em uma muralha quase intransponível, com pelo menos cinco ótimas defesas. Mas o Tricolor ficou devendo futebol e deixou a sua torcida preocupada com o desempenho na principal competição sul-americana. Arias abriu o placar, aos 34 minutos da etapa final.

 

 

Apesar de dominar a partida praticamente inteira, o Tricolor deixou a desejar principalmente nas jogadas pelos lados do campo. O time só cresceu com a entrada de Dagoberto e, principalmente, após os 40 minutos do segundo tempo, quando Muricy Ramalho abandonou o esquema tático com três zagueiros.

 

 

O São Paulo volta a campo na Libertadores somente no dia 5 de março, em Cáli, contra o América. Já o Independiente Medellín enfrenta o Defensor, em casa, no próximo dia 24 de fevereiro.

 

Toque de bola x marcação forte

 

O São Paulo iniciou a partida valorizando a posse de bola, trocando passes e arrriscando chutes de fora da área. O Independiente optou pela marcação forte, principalmente no meio-campo, e ligação direita da defesa para o ataque, onde Jackson Martínez ficou enfiado entre os zagueiros para explorar os contragolpes.

 

 

Com muito toque de bola, mas poucas jogadas pelos lados do campo, Borges, em duas oportunidades, e Jean, optaram por chutes de fora da área nos 10 minutos iniciais. Sem conseguir furar o forte bloqueio defensivo colombiano, o São Paulo continuou insistindo de longa distância. Aos 13, Hugo acertou um torpedo, da intermediária, e o goleiro Bobadilla espalmou para escanteio.

 

 

Apesar de tentar dar o bote nos contragolpes, o Independiente só assustou aos 19, em cobrança de falta de Corredor, que Bosco defendeu. Enquanto os colombianos permaneceram sempre com, pelo menos, nove jogadores atrás da linha da bola, o São Paulo continuou martelando no ataque, mas só levou perigo em chutes de fora da área. Aos 33, Hugo arriscou chute cruzado e Bobadilla espalmou a bola para escanteio.

 

 

As melhores chances de gol do São Paulo aconteceram somente no final do primeiro tempo. Aos 40 minutos, Jorge Wagner cobrou escanteio, André Dias desviou de cabeça, e antes de Hugo marcar Muriel mandou para escanteio. Em seguida, Jorge Wagner cobrou novo escanteio, Ortiz desviou de cabeça e a bola explodiu no travessão. Na única chance de gol do Independiente, aos 46, Benitez cruzou, André Dias rebateu para trás, e Bosco evitou o gol contra.

 

 

Tricolor pressiona, mas Independiente surpreende

 

No segundo tempo, o Independiente Medellín voltou ainda mais retrancado. E só deu São Paulo. Logo aos dois minutos, Jorge Wagner cobrou escanteio e André Dias, de cabeça, mandou a bola por cima do travessão. Aos seis, Hugo tabelou com Borges, encheu o pé e Bobadilla fez grande defesa e espalmou a bola para escanteio.

 

 

A pressão são-paulina continuou. Aos sete minutos, Jorge Wagner cruzou, Borges cabeceou e Bobadilla espalmou. Aos 12, Hugo, dentro da área, errou o alvo e perdeu ótima chance para abrir o placar.

 

 

O técnico Muricy Ramalho colocou Dagoberto no lugar de Hugo, aos 20 minutos, e o São Paulo ficou ainda mais ofensivo. Aos 24, Dagoberto pegou rebote em cobrança de escanteio e encheu o pé, quase da marca do pênalti, e Bobadilla defendeu outra vez.

 

 

Desesperado, o São Paulo se lançou com tudo ao ataque e ficou exposto aos contra-ataques. E foi assim que o Independiente Medellín, na única jogada perigosa no segundo tempo, fez 1 a 0. Aos 34, Jackson Martínez cruzou, a zaga bobeou, Arias encheu o pé, a bola desviou na zaga e entrou.

 

 

Aos 39, Jean encheu o pé, fora da área, e Bobadilla defendeu outra vez. Somente aos 42 minutos, Muricy Ramalho sacou um zagueiro (Renato Silva) e escalou um atacante (André Lima) e abandonou o esquema tático com três zagueiros. Porém, aos 47, após cruzamento de Dagoberto, Borges, de bicicleta, fez um golaço e impediu um vexame tricolor.

 

globoesporte.com

 

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Jogo de “vida ou morte” para Treze e Botafogo (PB), vai definir futuro de paraibanos na Série C do Brasileiro

Chegou o dia da decisão na Série C do Campeonato Brasileiro, e o jogo de vida ou morte para Treze e Botafogo (PB). Quando experiente árbitro Leandro Pedro Vuaden der…

Treze empata, escapa do rebaixamento da Série C e acaba sonho de acesso de Botafogo (PB)

Em uma arrancada impressionante, o Treze escapou do rebaixamento da Série C do Campeonato Brasileiro. Numa rodada emocionante e cheia de expectativas, o Galo só precisou empatar em 2 x…