Por pbagora.com.br

O Cruzeiro precisava de uma simples vitória sobre o Racing para assumir a primeira colocação no Grupo 5 da Libertadores e avançar às oitavas de final com a vantagem de decidir a fase em casa. Entretanto, proporcionou uma grande festa à torcida celeste, que lotou o Mineirão para comemorar o suado triunfo por 2 a 1, iniciado com golaço do recuperado Thiago Neves após apenas dois minutos de jogo. Lucas Silva fechou a vitória e Centurión diminuiu para os argentinos.

 

O triunfo deixa o Cruzeiro com o saldo de dez gols na competição, contra seis do Racing, o que garante a liderança do Grupo 5 aos mineiros em decorrência do acúmulo de dez gols na Com o resultado, a equipe encerra sua participação na fase ocupando a liderança do Grupo 5 pelo saldo de dez gols no torneio, contra seis do Racing e ciente de que disputará em casa a decisão das oitavas de final, que ainda será sorteada.

 

A festa da torcida celeste começou cedo no Mineirão. Dotado de uma equipe entrosada, o Cruzeiro soube aproveitar os espaços deixados pelo rival para criar jogadas perigosas a partir de intensas trocas de passes. O domínio de jogo dos mineiros teve resultado com apenas dois minutos de bola rolando, quando Thiago Neves aproveitou lançamento de Sassá para carimbar as redes.

A pressão celeste continuou e o Racing perdeu a estabilidade aos 10 minutos, quando Lucas Silva ampliou a diferença após roubar a bola no meio de campo e driblar a marcação argentina. Pressionado, o Racing passou a dar mais atenção à defesa, mas percebeu o recuo do Cruzeiro no decorrer da etapa, encontrou espaços no fundo e lançou suas primeiras jogadas perigosas pelas laterais.

Na primeira tentativa, Lautaro tocou rasteiro para Solari, mas Egídio fez o corte. Na segunda, jogada semelhante pela direita culminou no gol de Centurión, aos 27 minutos. Atento às falhas da Raposa, o Racing cresceu no jogo. Em erro de Egídio, Lautaro lançou Solari de cara para Fábio e o meia arriscou encobrir o goleiro, mas acabou deixando a bola na trave. No fim da etapa, Arrascaeta teve ótima oportunidade para ampliar o saldo de gols do Cruzeiro ao encarar Musso sozinho, mas demorou para bater e acabou perdendo a bola.

Assim como deixou os gramados no primeiro tempo, o Racing voltou com maior domínio de bola, entretanto sofreu alguns sustos com contra-ataques da Raposa. Em um deles, Arrascaeta deixou para Sassá, que passou por três marcadores, mas foi parado pela defesa de Musso. No decorrer da segunda etapa, o jogo ganhou equilíbrio e as duas equipes intensificaram a troca de passes no meio de campo, o que não impediu que Fábio fosse obrigado a fazer grande defesa para salvar o gol celeste quando Centurión arriscou cabeceio de peixinho depois de receber belo passe de Pillud.

Na tentativa de aumentar a velocidade do ataque da equipe argentina, Mansilla foi solicitado para a vaga de Neri Cardoso, enquanto Raniel substituiu Sassá, mas, apesar da intensa disputa de bola que o atacante proporcionou, deixou sua melhor chance escapar ao isolar a bola no momento em que estava em boa condição de gol, já nos minutos finais da partida. Mansilla respondeu, após receber passe de Centurión e tentar o cabeceio, mas Fábio concluiu a defesa para encerrar o difícil duelo.

 

Vasco – A terça-feira foi de despedida precoce da Libertadores, mas com a cabeça erguida e um prêmio de consolação após 90 minutos. Com gols de Bruno Silva e Yago Pikachu – esse aos 36 minutos do 2º tempo -, o Vasco bateu a Universidad do Chile por 2 a 0, no Estádio Nacional, assumiu a 3ª colocação do Grupo 5 e garantiu vaga na Sul-Americana. 

O Vasco precisava fazer no Chile o que mais teve dificuldade na Libertadores: gols. Até aqui, a equipe só tinha balançado a rede uma vez, com Wagner. Mas eles vieram. No 1º tempo, Bruno Silva apareceu como elemento surpresa para aproveitar rebote do goleiro e abrir o caminho. Martín Silva, na defesa, parou Rafael Vaz em chute de longe e Pinilla, na cara do gol.

 

O gol da classificação chegou na 2ª etapa, aos 36 minutos, graças a um chutão do mesmo Martín, que virou assistência para Pikachu – após bobeira de Jara e saída atrapalhada de De Paul – e comemoração junto com os remanescentes no banco de reservas e Zé Ricardo. 

Com o resultado fora de casa, o Vasco, pelos 3 gols marcados na competição contra os dois da Universidad de Chile, terminou na 3ª colocação do Grupo 5. Cruzeiro e Racing seguem vivos na próxima fase da Libertadores. 

Terra com globoesportes.com