Por pbagora.com.br

 Uma final antecipada. Assim está sendo chamado o confronto entre Cruzeiro e Botafogo, que se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Mineirão, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. As duas equipes parecem que irão polarizar a disputa pelo caneco.

A Raposa, que ganhou os últimos sete confrontos pela competição, sendo o mais recente o 1 a 0 sobre o Atlético-PR, lidera com 46 pontos, quatro a mais que o Glorioso, que ganhou seus quatro últimos compromissos, sendo o último por 2 a 1 sobre o Santos.

As duas equipes parecem dar uma tratamento diferenciado ao jogo desta quarta-feira. Oswaldo de Oliveira, técnico do Botafogo, por exemplo, está preferindo descartar o clima de decisão, disposto a reduzir a pressão sobre seus jogadores.

“Acho que se pode jogar com a palavra final para se pensar em atrair o torcedor, em fazer uma manchete. Mas todos nós sabemos que essa partida não é uma final antecipada, porque ainda faltam dezessete partidas para cada time no Campeonato Brasileiro e qualquer resultado que venha a acontecer é reversível. É um jogo muito importante, porque se trata do líder do campeonato e do segundo colocado. Mas não podemos pensar que essa partida é a final do campeonato. Os dois times ainda terão muita coisa pela frente”, disse Oswaldo.

Já aos cruzeirenses parece agradar a ideia de uma decisão antecipada. “Logicamente que é um jogo diferenciado. Estamos em uma ótima situação na zona de classificação para a Libertadores e hoje apenas o Botafogo pode impedir o nosso título. Portanto, é uma decisão e tenho certeza de que eles entrarão em campo com a faca nos dentes, dispostos a fazer de tudo para ganhar”, afirmou o meia Ricardo Goulart.

Pensando parecido com seu comandado, o técnico Marcelo Oliveira entende que o Cruzeiro precisa ter muito cuidado, pois o jogo com o Botafogo tende a ser, na opinião dele, o mais complicado do Brasileirão até o momento. “Acredito em um jogo muito complicado, pois o Botafogo vem mantendo um excelente nível de atuação e vai nos criar muitas dificuldades. Trata-se de uma partida que tem tudo para ser decidido nos detalhes. Um erro pode ser fatal quando se enfrenta um adversário desses”, analisou Marcelo.

A expectativa de uma partida equilibrada é compartilhada pelos botafoguenses. “A tendência é que as duas equipes façam um jogo equilibrado, mas bonito taticamente, pois são dois times que vem jogando em alto nível e estão nas primeiras colocações por merecimento. Sabemos o que vai representar para nós a conquista de uma vitória, pois nos colocará em situação muito boa na disputa pelo título. Assim, a nossa ordem é entrar focado, sem errar, para obter os três pontos”, afirmou o goleiro Jéfferson.

Para este compromisso o Cruzeiro terá o reforço do lateral direito Ceará, preservado na partida contra o Furacão e que reaparece na vaga de Mayke, o que deixa claro o objetivo de Marcelo Oliveira de reforçar a marcação no setor. Após cumprir suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) o atacante Dagoberto volta a ser relacionado, mas permanece como opção no banco de reservas.

Pelo lado do Botafogo, Oswaldo de Oliveira não poderá contar com o zagueiro Dória, que foi advertido com o terceiro cartão amarelo na vitória de 2 a 1 sobre o Santos e terá que cumprir suspensão. Assim, André Bahia ganha uma oportunidade de formar dupla com Bolívar. O reforço fica por conta do meia uruguaio Lodeiro, que estava suspenso diante do Peixe e reaparece, provavelmente na vaga de Hyuri, que volta a ser amuleto para o segundo tempo.

As duas equipes já se enfrentaram neste Campeonato Brasileiro, pela terceira rodada, em confronto disputado no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Naquela ocasião o grande nome da partida foi Lodeiro, autor dos dois gols do Alvinegro. Anselmo Ramon descontou para a Raposa.

G1