O magnata russo Roman Abramovich deve andar frustrado. Afinal, desde que comprou o Chelsea, em 2004, quatro comandantes técnicos já foram contratados e demitidos por ele.

Com as recisões contratuais, o investidor já gastou 32 milhões de libras (cerca de R$ 105,8 milhões), de acordo com o jornal The Independent. O valor gasto seria suficiente para comprar Messi e, quem sabe, um outro craque que pudesse resolver a falta de criatividade no meio de campo do time.

Foram eles, Claudio Ranieri, que na saída levou 1 milhão de libras (R$ 3,3 milhões); José Mourinho, que levou 19,7 milhões (R$ 65,3 milhões); Avram Grant, com 4,8 (cerca de R$ 15,9 milhões); e, agora, Felipão, 7 milhões (cerca de R$ 23,2 milhões).

Desses todos, o único que pode chorar o limite de verba para contratações é o brasileiro, que ficou 224 dias no cargo, fez 32 jogos, perdeu 7 vezes, empatou 5 e venceu 20 – e levou, em salários, 3 milhões de libras (cerca de R$ 9,9 milhões).

Portal Terra

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Treze, CSP, Atlético e Nacional de Patos estreiam nesta quarta-feira no Paraibano 2020

Após escapar do rebaixamento na Série C do Campeonato Brasileiro, o Treze estreia no Campeonato Paraibano nesta nesta quarta-feira, diante do CSP às 20h15 no Estádio Amigão, em Campina Grande.…

Botafogo e Perilima estreiam com vitória no Campeonato Paraibano

O Botafogo estreou vencendo no Campeonato Paraibano 2020. Em partida realizada na noite desta terça-feira (21), no estádio Almeidão, em João Pessoa, o Belo bateu o São Paulo Crystal por…