Benefícios do acompanhamento vão para além da sala de aula

O projeto de lei 3.688/2000, que previa a presença de psicólogos e assistentes sociais nas escolas públicas de educação básica do país, foi vetado integralmente pelo presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL) na última quarta-feira (9). A atitude trouxe à tona o debate acerca da importância desses profissionais para a orientação de jovens em formação, não só acadêmica, mas comportamental e moral.

A proposta em questão, de autoria do ex-deputado José Carlos Elias, previa a contratação de psicólogos e assistentes sociais para atender aos estudantes dos ensinos fundamental e médio, em parceria com profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). Se aprovado, o projeto entraria em vigor em 2020. Em reação ao veto, educadores, profissionais de saúde e pais mostraram-se contrários à decisão.

A psicóloga Sabrina Costa Filgueira defende que a escola tem papel fundamental no processo de prestar ajuda aos alunos. “Para isso, pode promover atividades dos mais diversos tipos que estimulem o vínculo, a troca de afeto e a expressão do sentimento, além de fazer com que alunos criem espaço de transparência e diálogo”, explica. A profissional pontua, ainda, que quando a escola perceber que um aluno apresenta um comportamento diferente tem a obrigação de encaminhá-lo para acompanhamento profissional.

Assim, a presença desses profissionais nas instituições é um dos fatores que contribuem para a boa educação. Além disso, possibilita a diminuição da violência nas escolas, bem como a redução de casos de bullying. Dentre os principais benefícios da atuação de psicólogos e assistentes sociais nas escolas evidenciam-se:

– Ajudam a conhecer os alunos;
– Auxiliam no processo de aprendizagem;
– Valorizam as diferenças individuais;
– Resolvem os conflitos;
– Identificam contextos de violência;
– Ajudam no desenvolvimento dos professores;
– Identificam métodos de ensino mais eficazes;
– Cuidam da saúde mental de alunos e professores;
– Orientam e aconselham;
– Apresentam novos caminhos para os princípios de avaliação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Jovem socioeducando do CEJ João Pessoa ganha concurso de poesia

Um jovem interno da Unidade Centro Educacional do Jovem (CEJ), de João Pessoa, recebeu prêmio de primeiro lugar em concurso de Poesia, durante Festival organizado pela Rede de Proteção Integral…