A Universidade Estadual da Paraíba, através da Pró-Reitoria de Pós Graduação e Pesquisa (PRPGP) e a Embrapa Algodão, em Campina Grande, assinaram
recentemente um convênio para a criação do Mestrado em Ciências Agrárias, com área de concentração em agrobioenergia e agricultura familiar.

A associação será do tipo ampla, o que significa que as duas instituições terão responsabilidades iguais pelo programa. O projeto será encaminhado a
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (Capes) até o dia 26 de março, junto com outras três propostas: Comunicação regional;
Farmácia; e Ecologia e Conservação.

Por se tratar de Ciências Agrárias, o curso funcionará em Catolé do Rocha, mas os alunos também terão aula no Campus I da UEPB e na Embrapa. O corpo
docente será formado por dez pesquisadores doutores, sendo cinco da Universidade Estadual e cinco da Embrapa, além de mais quatro colaboradores das duas instituições.

 Mestrado em Ciências Agrárias

O Mestrado em Ciências Agrárias inclui-se no propósito perseguido pela UEPB e pela Embrapa Algodão de incrementar pesquisas, desenvolvimento tecnológico
e a transferência dessas ações para o semi-árido brasileiro, tendo como foco o estímulo na produção de biocombustível e o fortalecimento da agricultura
familiar.

A iniciativa unirá duas tradições, a do ensino e pesquisa acadêmica, conferida pela UEPB, em parceria com a pesquisa tecnológica, fornecida pela Embrapa. O resultado será a oferta de um programa diferenciado, que tem como preocupação a formação de recursos humanos com conhecimento no manejo agroecológico dos ecossistemas regionais e locais, e o desenvolvimento de uma agricultura sustentável.

O Mestrado em Ciências Agrárias (MCA), com área de Concentração em Agrobienergia e Agricultura Sustentável, é resultado de três movimentos
articulados da Política de Pós-graduação da Universidade Estadual da Paraíba.

O primeiro alinha-se a um conjunto de ações estratégicas efetivadas na qualificação do corpo docente e na ampliação qualitativa do quadro por meio
de concurso público. O segundo se trata do investimento em ensino e pesquisa em áreas estratégicas, do Brejo ao Alto Sertão da Paraíba, dentre as quais
destacam-se as Ciências Agrárias.

Por fim, o terceiro movimento diz respeito à construção de parcerias com Universidades e Centros de Pesquisa instalados no Brasil e no Exterior, não
apenas para a troca de experiências e capacitação de seu corpo docente, mas, pontualmente, para junção e articulação de competências, visando o
fortalecimento do ensino e da pesquisa em áreas críticas para odesenvolvimento regional.

Dessa ação decorre a presente associação com a Embrapa Algodão para a construção do MCA, três outros programas de Mestrado já recomendados pela
CAPES (PRODEMA, Desenvolvimento Regional e Enfermagem) e três Doutorados Interinstitucionais (Ciências da Motricidade, Educação e Ensino, História e
Filosofia da Ciência).

Assessoria de Comunicação da UEPB

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Após erro na correção do Enem 2019, participantes temem perder vagas nas federais

A apreensão dos candidatos a uma vaga no ensino superior aumentou desde que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reconheceu no sábado (18) que houve “inconsistências” na correção dos gabaritos…

Após divulgação das notas do Enem 2019, estudantes se preparam para o Sisu

Inscrições para o Sistema de Seleção Unificada ocorrem entre 21 e 24 de janeiro Na última sexta-feira (17), o Ministério da Educação divulgou as notas do Exame Nacional do Ensino…