Uma ideia pensada para ajudar “concurseiros” nos estudos sobre a Constituição Federal (C.F) acabou ganhando atenção de um público ainda longe de se aventurar nos concursos: crianças e adolescentes. A iniciativa é da professora de Direito Constitucional, Malu Aragão, que criou uma revista quadrinhos sobre a Constituição Federal (C.F).

“Nós fizemos uma adaptação para ‘concurseiros’. Mas as crianças começaram a adquirir a revistinha. Ou seja, elas estão apreendendo junto com os pais. Nós não esperávamos que fosse atingir, positivamente, os adolescentes”, conta a criadora, satisfeita com o resultado.

Atuando há quinze anos na área, a ideia da professora partiu de sua preocupação com o distanciamento da população em relação ao conjunto de normas que regem a sociedade, unificada na C.F de 88. A revista contém ilustrações coloridas e, o mais importante, a linguagem sisuda do regimento foi adaptada a um texto mais didático e fácil de ser compreendido. O projeto conta com a parceria de Luís Cláudio Braga, roteirista e idealizador do projeto, bem como do desenhista J.J. Marreiro.

Para Aragão, um dos objetivos centrais da revista é massificar o entendimento pleno das leis que regem a Constituição. “A finalidade é levar o estudo da Constituição a todos, especialmente aos adolescentes.

Essa é uma forma de aprender através de quadrinhos. Apesar dos termos jurídicos, fica fácil de assimilar por causa dos desenhos”, esclarece.

O primeiro exemplar foi publicado e está disponível para leitura em duas versões: a modalidade digital é ofertada por R$ 6,99 através do site do curso Prime, plataforma online que realizou parceria com a docente para a publicação do projeto. Há, também, a versão física, disponível por R$ 10 na sede do curso, na cidade de Fortaleza, no Ceará.
A próxima edição da revista será lançada no mês de março. O intuito é lançar 20 edições, formando um almanaque, com a finalidade de disseminar o conhecimento das leis em escolas, de forma mais lúdica, que facilite o interesse e aprendizado.

Além desse trabalho, a analista judiciária também é protagonista do projeto exclusivamente infanto- juvenil “Seu filho vencedor”. A iniciativa é pautada na disciplina e técnicas para melhorar os estudos, estimulando os estudantes a compreender os conteúdos e não apenas decorar, o que contribui para autoestima e autonomia durante o processo de formação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Deixe seu Comentário