Por pbagora.com.br
Foto: Agência Educa Mais Brasil

Cinco das 10 capitais brasileiras que mais leram em 2019 são do Nordeste

A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto pró-livro (IPL), realizada em parceria com o Itaú Cultural, mostra o índice das capitais que mais leram em 2019. O estudo apontou que cinco das 10 capitais ficam no Nordeste. A campeã João Pessoa, capital da Paraíba, tem 64% da população classificada como leitora. Em seguida aparecem Curitiba, com 63%, Manaus, com 62%, Belém, 61%, e São Paulo, 60%.

Abaixo dessas aparecem, respectivamente no ranking, Teresina (59%); São Luís (59%); Aracaju (58%); Salvador (57%); e Florianópolis (56%). Vale destacar que a pesquisa foi realizada antes da pandemia de Covid-19, que pode ter impactado a leitura dos brasileiros para mais ou para menos.

Para chegar nos resultados, a pesquisa ouviu 8.076 entrevistados em 208 municípios entre outubro de 2019 e janeiro de 2020, sendo 5.874 nas capitais de 26 estados e do Distrito Federal. A pesquisa é realizada de quatro em quatro anos.

Foram considerados como leitores aqueles que leram, pelo menos, um livro inteiro ou em partes, nos últimos três meses antecessores à pesquisa. A nível nacional, os dados de 2019 mostram a existência de 52% de leitores e 48% não leitores entre os entrevistados. O número caiu em comparação à pesquisa anterior, realizada em 2015. Na época, foram 56% leitores e 44% não leitores.

As maiores quedas no percentual de leitores foram observadas entre as pessoas com ensino superior – passando de 82% em 2015 para 68% em 2019 -, e entre os mais ricos. Na classe A, o percentual de leitores passou de 76% para 67%.

Internet e falta de dinheiro motivaram queda

Para a coordenadora da pesquisa, Zoara Failla, em entrevista à Agência Brasil, a internet e as redes sociais são razões para a queda no percentual de leitores em todo o país, sobretudo entre as camadas mais ricas e com algum curso de graduação concluído. “[Essas pessoas] estão usando o seu tempo livre, não para a leitura de literatura, para a leitura pelo prazer, mas estão usando o tempo livre nas redes sociais”, diz.

Também foram apontadas dificuldades para ter acesso aos livros. “O Brasil está vivendo uma crise na economia, vemos dificuldade para o acesso, para a compra [de livros]. As pessoas estão frequentando menos bibliotecas”, diz Zoara.

À pesquisa, 5% dos leitores e 1% dos não leitores disseram não ter lido mais porque os livros são caros; e, 7% dos leitores e 2% dos não leitores não leram porque não há bibliotecas por perto.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Enem: candidato ausente por motivo de doença tem até dia 29 para enviar laudo

Candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 que não compareceram ao local de prova no domingo (17), por apresentar doença infectocontagiosa, podem solicitar a reaplicação da prova.…

Mais de 44% dos inscritos no Enem na Paraíba faltam o primeiro dia de prova

Mais de 44% dos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2020) na Paraíba faltaram o primeiro dia de prova. Na Paraíba, 161.495 estudantes estavam inscritos para o Enem.…